terça-feira, 18 de agosto de 2015

A favela como política de Estado




Assistindo o noticiário mostrando mais um dia da guerra urbana entre a bandidagem e o cidadão desarmado pelo Estado, algo ainda mais bizarro conseguiu chamar minha atenção: no Rio de Janeiro existe uma favela que se chama "César Maia".

Isso mesmo, um crime aconteceu na "Favela César Maia".

Numa cidade que fica cada dia mais feia, inóspita, caótica e violenta - muito por culpa da sua favelização, já que o Rio é um imenso favelão - o nome de um prefeito, um cargo que teoricamente deveria zelar pela ordem urbana, batizar uma favela é o atestado de que a degradação da ex-cidade maravilhosa é, sim, fruto de uma política de Estado.

Desde Leonel Brizola nos anos 80 até Pezão hoje, nada se fez para remover e limitar favelas, pelo contrário, os governantes fazem questão de manter aqueles repositórios de votos fáceis, disponíveis para compra na liquidação do assistencialismo.
A cidade e o cidadão que se danem.
0 Comentários