segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Você tem 24 horas por dia para cuidar da sua indignação, não venha fazer hora-extra na minha


Se tem algo - aliás, mais um - que faz a esquerda ser a olimpíada dos malas sem alça que é, trata-se da mania de ser fiscal da indignação alheia. Funciona assim: você não pode ser contra a roubalheira do PT se não for a favor do feminismo. Não pode ser a favor do feminismo se não se importar com a questão racial. Não pode ser a favor do feminismo e se importar com a questão racial se não for vegetariano. E nem adianta ser tudo isso se não for ciclista. E a tara goes on and on and on.


Eles não se contentam em ter 24 horas por dia para se indignar com tudo, querem fazer hora-extra na minha indignação.


E o pior é que tem muita gente da dita "nova direita" que anda embarcando nessa. Criou-se um tipo ideal de direitista. Não basta ser liberal na economia, tem que ser ultra-conservador nos costumes. Não basta ser liberal-conservador, tem que defender o tabagismo até num berçário. Não basta tudo isso, tem que, sei lá, comer bacon e contar pra todo mundo como se isso fosse coisa de bad boy. Tudo bem, essa última eu inventei, é que a "escola" ainda é nova e não teve tempo de diversificar as manias.


Digo isso porque o caso da morte do leão Cecil por um dentista americano numa caçada ilegal fez o mundo entrar em modo final de BBB. Todo mundo histérico e com uma super-opinião sobre o assunto. Todo mundo inclusive eu. E a minha opinião é bem simples: sou a favor de que a caça "esportiva" seja liberada no mundo todo, desde que os caçadores só possam usar as próprias pernas, mãos e dentes como armas.


Assim como eu, milhões de pessoas consideraram uma aberração que um animal fosse morto não com fins de manejo populacional, controle do ecossistema, proteção de pessoas ou para que alguém se alimentasse, mas pelo simples prazer mórbido de abater um bicho.


Cheguei a ver uma foto de outra caçada feita por uma espécie de Paquita versão Família Buscapé chamada Kendall Jenner em que a bombshell se exibia ao lado de uma zebra morta e comentava sobre o "belo animal". 


Afinal de contas, o que mais fazer com o que é belo além de ATIRAR para MATAR, né? Por sinal Kendall é bem bonitinha. será que ela gostaria de receber esse tipo de "homenagem"?


O fato é que não consigo encontrar justificativa plausível para a morte do leão e muito menos para esse tipo de caçada ilegal que atrai animais para fora de parques de proteção somente para que suas cabeças, peles, chifres, presas, etc., sirvam de troféu na sala de algum tarado.


E por pensar assim e externar isso recebi reprovações no estilo "se importa com um leão mas não se importa com os assassinatos de cristãos pelo ISIS". Hein? Creio que já escrevi uma meia dúzia de textos sobre a intolerância islâmica, sobre como o mundo não liga para cristãos e sobre os horrores do ISIS. A única coisa que falta para que eu me envolva mais nessa questão é me alistar no exército curdo e ir lá matar os cabeças de trapo do Estado Islâmico.


Mas o ponto não é esse, o ponto é que eu tenho o direito de me indignar com o que eu bem entender, onde é que já se viu? Não é como se eu estivesse agindo como um desses palermas que pensam que porque a suprema corte dos Estados Unidos legalizou o "casamento" gay que o mundo virou a Vila Sésamo.


Só que achar que não dá pra ser contra o ISIS e a caça furtiva e ilegal ao mesmo tempo é como afirmar que não dá pra andar e falar ao mesmo tempo.


Já me preocupo com genocidas e ditadores de esquerda além de terroristas islâmicos 23 horas por dia, será que você DEIXA eu me preocupar com o leão durante 1 hora só, sem querer caçar (sem trocadilhos) a minha carteirinha de reaça?


Desde já agradeço. Porque uma boa forma de ser contra a esquerda é começar por agir diferente dela.


Obrigado.
0 Comentários