terça-feira, 15 de setembro de 2015

Por um partido de direita


Funciona assim: enquanto não houver no Brasil um partido que diga sem receio "somos de direita", sigo votando em pessoas e contra pessoas, mas continuo sem partido.
Gente pra dizer "não, não, não sou de direita" tem às baciadas em qualquer partido por aí, para me tirar dessa postura é necessário mais do que um discurso kassabista "nem de direita, nem de esquerda, nem de centro".
O nome disso é bola: sem lado e oco por dentro e eu estou sem lado por falta de quem me permita isso, mas tenho lado.
0 Comentários