quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Deputado do PT incita agressão aos membros do Movimento Brasil Livre


Sibá Machado é um personagem que em qualquer país menos exótico serviria apenas como coadjuvante de programa de humor vespertino. Como o Brasil é a capital mundial do exotismo bizarro, ele não só é deputado federal como é líder da bancada do partido do governo.
Entre outras idiotices o deputado acriano já afirmou que a CIA paga manifestantes para ir às ruas contra Dilma Rousseff ou que o dinheiro surrupiado da Petrobras se "auto-roubou" apenas para difamar seus companheiros de partido pegos com a boca na botija.

Sibá não é apenas um sintoma, mas também uma das causas da decomposição moral e intelectual do petismo. Ainda que fossem desonestos intelectualmente e defendessem absurdos, os antigos "líderes" e personalidades do PT pelo menos mostravam algum verniz de inteligência e refinamento.

Hoje não, hoje o PT é exatamente esse churrasco na laje mental, esse sanduíche de mortadela argumentativo representado por um medíocre como Sibá Machado, alguém sem substância e densidade para sequer ser assessor de vereador em município com menos de 20 mil habitantes.
Bah, o que eu estou dizendo? Num país onde a Era da Mediocridade não faça o insignificante se achar um gênio, Sibá Machado seria rejeitado até numa ocupação que envolvesse perguntar se o pedido vai acompanhado com fritas.
O problema é que ele seria apenas folclórico e lamentável caso não tivesse virado caso de polícia.
Digo isso porque alguns manifestantes do Movimento Brasil Livre estavam no plenário da Câmara quando o Tonho da Lua petista resolveu bradar do alto de sua coragem de lutador de MMA de galinheiro e disse o seguinte:
- Eu vou juntar gente e vou botar vocês pra correr daqui de frente do Congresso. Bando de vagabundos. Vocês são vagabundos. Vamos pro pau com vocês agora.
No dia seguinte integrantes do MTST, grupo de delinquentes apoiado pelo PT para ser um de seus braços armados nas ruas, foram até o acampamento do MBL em frente ao Congresso e agrediram os presentes.
A ameaça foi feita e cumprida.
Numa sociedade saudável, onde um Sibá Machado fosse colocado no seu devido lugar de Sibá Machado, o que o deputado petista fez seria caso de polícia, porque ele incitou sim, deu uma ordem velada sim e foi responsável pelo ocorrido sim. É um covarde sem decoro e merece ser punido. Entretanto, como estamos no Brasil, ainda vamos ver o que vai acontecer.
Mas fica o diagnóstico antecipado: só num país canalha, tomado por canalhas e governado por canalhas é que o dinheiro que roubam de você é usado pra pagar delinquentes pra te expulsar da rua caso você proteste contra o ladrão e ainda por cima isso não dá em nada.
A ver.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O bolivarianismo vai cair


O presidente Tancredo Neves foi reconhecidamente um dos arquitetos da redemocratização. Mas até ele reconhecia que acordos de gabinete sozinhos não resolvem nada.
Foi o povo na rua, nas diretas já e na campanha da sua eleição, que determinou o destino do regime militar. Duvido - e tenho certeza que Tancredo também duvidaria - que se as ruas permanecessem vazias os militares teriam saído do poder daquela forma e naquela época.
Aqueles eleitores do colégio eleitoral que elegeram Tancredo em 1985 apenas fizeram o que as multidões já haviam decidido. As convenções, as reuniões, as alianças partidárias, foram apenas parte do que é o papel dos políticos quando o povo bafeja o seu cangote: definir a forma pela qual a vontade da cidadania será atendida.

No último domingo, 25 de outubro de 2015, a Argentina foi às urnas praticamente destinada a eleger no primeiro turno o candidato apoiado pela presidente Cristina Kirchner. As pesquisas, os entendidos, os veículos de comunicação oficialistas sustentados com o dinheiro dos outros (soa familiar?) declaravam que seus candidatos sairiam vencedores de lavada.
As pesquisas de boca de urna já mostravam uma realidade diferente, mas quando os números oficiais saíram, a realidade se impôs. Seu candidato mal se manteve no primeiro lugar por dois pontos, sendo empurrado para um segundo turno. Fora isso o candidato apontado pela "presidenta" no dedaço para disputar o governo da província de Buenos Aires levou uma surra de uma novata da oposição e diversas províncias - algumas governadas pelo peronismo desde 1983 - foram para seus adversários.
Irritada, Cristina se trancou na residência oficial e ordenou que a justiça eleitoral segurasse os resultados oficiais até a madrugada de segunda-feira. Como não podia obrigar os eleitores, um a um, a mudarem sua escolha, resolveu lhes aplicar um castigo mesquinho e inócuo, coisa de tiranete bolivariano.
Na Venezuela, caso uma gigantesca fraude não ocorra, Nicolás Maduro se prepara para sofrer uma coça nas eleições parlamentares e no Brasil o PT pode esperar, porque 2016 será um ano duro nas eleições municipais.
Mas nada, nada acontece sem o povo. Deixar para políticos e arranjos de bastidor o destino do país é confiar em quem se vende por um cargo de segundo ou terceiro escalão ou por uma mala de pixulecos.
Por isso é primordial lembrar a lição de Tancredo, ao vencer naquele colégio eleitoral em 1985: não vamos nos dispersar.
Só o que os sanguessugas de palácio precisam para grudarem no poder e não saírem dali é que os cidadãos que produzem os deixem em paz.
Sem paz para eles. Até que caiam todos.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Lula 70


Lula vai comemorar hoje seu aniversário falando mal da polícia federal, do ministério público e do ministro da justiça. Tudo porque os dois primeiros estão a cumprir suas funções legais e o último, por incrível que pareça, não está atrapalhando.
Lula não faz isso para defender sua biografia, como sói a um ex-presidente, mas para defender o seu futuro: ele nunca diz "chega", ele quer mais, ele quer mandar no país de novo.
Como passou os últimos 35 anos sem trabalhar, só podemos supor que essa necessidade que Lula sente de voltar ao poder não é saudade do batente, mas dos adereços de ser presidente.
Me importam menos suas razões do que suas chances de conseguir o que tanto deseja. Sabemos que nada é sujo ou indecente o bastante para o PT usar com o objetivo de vencer uma eleição, só espero que dessa vez não baste.
Seus companheiros mais próximos, seus amigos pessoais e até membros da sua família estão um a um aparecendo nas páginas policiais. O resultado é que 55% dos brasileiros dizem que não votariam nele em hipótese alguma. Mas ainda é pouco, prefiro uma margem de segurança maior, algo como uns 90%.
Em todo caso, o fato de não poder sair de casa para comemorar seus 70 anos sem a chance de levar uma vaia ou se deparar com um boneco inflável gigante no meio do caminho é um dos destinos merecidos para quem, desde muito tempo, tomou o país como refém e impôs este desastre que agora ocupa a presidência.
A Lula, o que é de Lula. Inclusive a Papuda, se este for o caso.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O meu mundo melhor é muito melhor do que o seu (e é mesmo)


Às vezes me perguntam: você se acha melhor do que um petista? E a resposta imediata e sem a menor modéstia é que sim, não apenas sou melhor como sou muito melhor.
Pra começar sou muito melhor do que todos os 13 que ainda seguem acreditando de verdade no que um dia foi chamado de "o ideal" do partido. Do que esses eu pelo menos sou mais inteligente.

Mas o que dizer do resto?

Eles ameaçam até fisicamente quem discorda deles? Sim. Só que não ligo muito, porque se fosse o caso seria um prazer devolver cada porrada que dessem com o dobro de intensidade.


Sobre desejar que sua visão política prevaleça sobre outras que consideram piores também não falo nada. Eu enterraria o petismo no lixo da história sem pestanejar.

Ainda que eles me achem um filho da puta, sou melhor do que eles porque na minha sociedade ideal eles continuariam livres para me chamar de filho da puta. E de coxinha e de fascista e de golpista e mais do que quisessem. Na sociedade ideal deles eu só teria liberdade para chamá-los de bonitos.

Imagina? Dilma e Rose do Lula bonitas?

Se a minha visão de sociedade prevalecesse, funcionários públicos não teriam nenhum direito a mais do que qualquer trabalhador da iniciativa privada.

Isso quer dizer que se for um vagabundo que falta, trata mal o cliente pagador de impostos, ganha mais do que merece e vive fazendo greve querendo mais, seria demitido no ato caso prejudicasse a minha vida ou a deles, petistas.

Além disso, ninguém veria seu dinheiro sugado para sustentar parasitas e corruptos. Afinal, não se iludam: quando alguém diz que "trabalha com o que gosta", na verdade quer dizer que faz a segunda coisa que prefere depois de férias.

O cidadão não sai de casa todo dia para perseguir seu sustento e depois entrega uma grande parte do seu suor ao governo para ver familiares de presidentes virarem milionários com o dinheiro dele.

Na minha sociedade ideal, eu e os petistas pagaríamos impostos e nenhum monitor de zoológico viraria o "Ronaldinho dos negócios" às nossas custas, nem patrocinaríamos as carreiras de gente sem talento ou em decadência.

Por essas e outras que eu sou, sim, melhor do que os petistas. Eles podem discordar de mim, mas certamente, diferente deles, o meu objetivo de vida não é subtrair o que é dos outros - seja liberdade ou numerário - e muito menos transformar a vida deles num aborrecimento diário.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Ronda Rousey vence os Jogos Vorazes


Estimulada por uma polêmica sobre a diferença do valor dos prêmios pagos pelas seleções australianas de futebol masculino e feminino, uma repórter resolveu perguntar para a campeã do UFC, Ronda Rousey, o que ela achava dessa discrepância de pagamento entre atletas homens e atletas mulheres.

Como se sabe a nova "luta" do feminismo é para que homens e mulheres ganhem o mesmo, não importando muito bem o peso que cada um tenha dentro da atividade que exerce.


Por exemplo, Jennifer Lawrence - e nada pode ser mais esquerda caviar do que a "ativista" que ganhou 52 milhões de dólares apenas em 2014 e ainda assim reclama do salário - esperneou por causa do milhões a menos que recebeu em relação aos seus colegas homens protagonistas do filme "Trapaça". 


Num artigo que foi amplamente divulgado em todo o mundo ela chegou a se perguntar: "por que esses caras ganham mais que eu?".


Bom, ela aparentemente não achou "injusto" que em "Jogos Vorazes 2" seu cachê fosse de 10 milhões de dólares, enquanto seus companheiros de cena -  Liam Hemsworth e Josh Hutcherson - ganhassem 2 e 5 milhões respectivamente, ou seja, cinco vezes menos e a metade do que ela meteu no bolso.


Mas como a outra moda é dizer que sem "vivência" não podemos opinar sobre determinado assunto, nada melhor do que voltar ao início deste texto e dizer qual foi a resposta da Ronda Rousey - mulher, linda e que ganha a vida derrubando adversárias no octógono e não se estabacando durante a cerimônia de entrega do Oscar - para a repórter:


- Eu acho que o quanto você recebe deve ter a ver com a quantidade de dinheiro que você produz. Eu não sou a lutadora mais bem paga porque o Dana (White, presidente do UFC) quis fazer algo legal pelas damas, ele faz isso porque eu porque eu ganho muito dinheiro para ele.


E ela está certa. Nivelar as pessoas artificialmente por conta do sexo, da cor da pele ou de qualquer outro critério que não seja a competência apenas estimula quem não produz a produzir cada vez menos e faz quem realmente produz se perguntar: pra que tudo isso, se no final todos valem o mesmo?


O feminismo farofeiro não precisa lutar pela Ronda. Pelo visto ela dá conta sozinha do recado, dentro do octógono e também fora dele. Valorizar as mulheres quer dizer bem mais do que berrar slogans por aí, mostrar os peitos e reclamar de "fiu-fiu". Valorizar as mulheres é oferecer ochances reais e permitir que elas vençam sozinhas. 


O feminismo de Ronda é aquele que luta pela oportunidade de mostrar seu valor, de continuar feminina sem precisar ser tratada como "mulherzinha" mas também sem virar uma caminhoneira caricata, é se dar ao respeito sem que para isso perca o respeito pelo resto do mundo, é conquistar seu próprio sucesso sem ressentimento pelo sucesso alheio.


É, enfim, um exemplo para todas as mulheres, que ao invés de ficarem por aí brigando com espantalhos podem vencer lutas bem mais importantes na vida. E para a maioria delas não falta inteligência, competência, capacidade e disposição para isso.


Nessa Ronda Rousey venceu os "Jogos Vorazes" por nocaute.


Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=w5xRHz8Su6E&feature=youtu.be

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Não, eu não te devo nada


Harvard: mulher invade uma sala de aula e chama todos os presentes de "cuzões" que lhe devem "até a alma". Você consegue imaginar essa cena? Porque nas universidades brasileiras está virando algo constante.

É por isso que Harvard possui 47 premiados com um Nobel, enquanto todas as universidades brasileiras juntas não têm nenhum.

Excetuando-se áreas médicas e tecnológicas, as universidades do Brasil não produzem nada de relevante para ninguém além daqueles que recebem bolsas e salários para teorizar sobre nada. Não passam de desperdícios de papel.

Dessa vez foi uma barraqueira desclassificada do "movimento negro" que invadiu uma sala de aula chamando os alunos que estavam ali de "brancos cuzões que devem até a alma", porque "a alma é só uma gota do que devem".

Parece que o rotativo desse cartão da "dívida histórica" já girou e a alma só não basta, eles querem algo que não tem nem nome. Risos.

O fato é: quem assiste esse tipo de boneca de vodu fazendo barraco, vomitando idiotices e fica ali sentado ouvindo sem nem ao menos levantar e deixá-la ali falando sozinha, merece mesmo ser ofendido. 

Convenhamos, seja por que motivo for, alguém invadir uma aula, ofender todos os presentes e se comportar como se fosse credora de qualquer coisa que ela definitivamente não é e ainda merecer a deferência da atenção alheia é premiar o medíocre, o vitimista, o eterno coitadinho malandro que deseja GANHAR coisas do estado e da sociedade.

Por essa lógica que defende que o ofendido pode fazer o que quiser, um dos que foram chamados de "cuzões que devem até a alma" poderia levantar dali e mandá-la tomar caju, que estaria tudo bem, afinal tudo seria uma "reação às ofensas proferidas". 

Ninguém percebe onde isso pode acabar? 

A realidade é: ninguém deve NADA a essa gente. Não é porque eles aprenderam na ONG que são eternos credores do mundo que essa bobagem passa a ser realidade. Um negro ou branco que precisa cuidar da vida não tem tempo para viver fazendo guerra racial em sala de aula. Isso é coisa de encostado.

Só alguém que desde pelo menos o ensino médio leva curra intelectual de professor marxista e que acredita nessa luta de classes das bananas é que se sujeita a isso. O problema é que esse tipo de idiota é hoje a maioria no ensino dito superior.

A pessoa tem o direito de se manifestar? Sim, tem. Mas sempre dentro das normas da civilidade e sabendo que a 3ª lei de Newton ainda não foi revogada por alguma liminar do STF do PT.

Caso contrário, não tem direito de reclamar da reação alheia.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

República da Brasilzuela


Esqueça a Venezuela. Não que as graves violações de direitos humanos na ditadura chavista não importem mais, mas é que você hoje já vive efetivamente na Venezuela do Sul, como muito bem definiu o sempre brilhante Alexandre Borges.
Vejamos: ministros do STF que se comportam como funcionários do petismo em agradecimento por seus cargos vitalícios tentam de todas as formas melar uma investigação da justiça federal, do MP e da PF para salvar empreiteiros bandidos que se juntaram a companheiros bandidos para assaltar estatais.

O atual procurador geral da República é um sujeito que já ofereceu duas denúncias contra Eduardo Cunha, desafeto seu e do lulopetismo, mas tem sistematicamente ignorado as traficâncias de Lula, sua família e seus apaniguados.
O descaramento é tamanho que a cada derrota que sofrem nas instâncias de poder que ainda não foram totalmente infiltradas pelo pus do lulopetismo, estafetas do partido ameaçam em tom de jactância: vamos virar isso no STF.
O governo negocia cargos e verbas à luz do dia, sem a menor vergonha, com o único objetivo de cumprir seu único plano para o mandato da presidente que usou mentiras e dinheiro suspeito para se eleger, que é não cair.
A inflação corrói o poder de compra, o peso do Estado inchado e corrupto sufoca quem deseja produzir, o PIB despenca, a inadimplência campeia, o dólar dispara, a violência assombra as cidades, a favelização virou o único projeto habitacional que funciona.
Neste momento apenas corruptos que vendem até a mãe, parasitas que estão aboletados na máquina pública, sanguessugas de sindicatos e movimentos sociais que chupam o dinheiro dos outros e imbecis crédulos ainda são capazes de levantar a voz para defender os destruidores do país.
E, cereja no bolo, começa a faltar produtos nos mercados. A escassez chegou de carona nesse bolivarianismo de micareta e churrasco na laje que infesta e inferniza o Brasil.
Por isso pare de falar em Venezuela, fale de Brasilzuela, este país corrupto, decadente e sem vergonha que foi parido por Lula com a desculpa esfarrapada de que falta de moral é justiça social ou que justiça social justifica falta de moral.
Estamos literalmente na bosta e graças ao PT irá faltar papel. São tão ladrões que até a piada eles roubaram da Venezuela.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Dia dos professorxs


Feliz dia do molestador intelectual que transforma o filho dos outros num imbecil que acha que sexo é "construção social", que ele é devedor de um passivo histórico só por ser branco, que ser contra a corrupção é coisa de "coxinha golpista", que os terroristas de esquerda em 1964 lutavam pela democracia, que "movimentos sociais", entidades estudantis, ONGs e demais parasitas lutam por um "mundo melhor", que todos os problemas do mundo são culpa da civilização ocidental judaico-cristã, do capitalismo e do imperialismo "estadunidense", que Che Guevara era herói e que Cuba é um paraíso onde "não há crianças nas ruas", fora o resto do discurso idiotizado e "crítico".

Para os demais que são professores mesmo, parabéns não só por hoje, mas por todo dia.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Impeachment ou não impeachment, eis a aparentemente eterna questão


Nessa semana de cai-não-cai o STF se confirmou como o último local do país onde o PT ainda conta com a simpatia da maioria.
É tanta nojeira, conchavo de bastidores, chicanas, disse-me-disse, compra de apoios e um governo que tem como único plano não cair, que ao invés de fazer um textão resolvi compilar tudo o que disse no Twitter para quem não me acompanha por lá poder ler e para quem já acompanha relembrar.
Será que um dia mudaremos de assunto? Nem eu aguento mais falar de Lula, Dilma e PT. Mas essa gente não desinfeta.
Vamos lá.
- Bienvenidos a la República Bolilulariana de Brasilzuela.
- A esquerda conseguiu quase tudo: domina a máquina pública, imprensa, academia e artes. Aí o país fica numa merda só e a culpa é da direita?
- Grande coisa revogar o voto de 54 milhões de idiotas caso Dilma tenha violado a lei. Ainda mais porque milhões hoje são idiotas arrependidos.
- "Dilma monta equipe pra defender governo do impeachment". Só se for um exército de especialistas em hipnose pra deixar 90% do país em transe.
- O STF é hoje a embaixada da Venezuela no Brasil.
- Parem com esse onanismo regimental e dêem logo o tal do golpe no trambolho. O país não pode passar 3 anos falando de Dilma Rousseff.
- Você achava mesmo que essa gente iria largar o poder e o dinheiro que roubam de você assim tão fácil?
- Onde se lê STF leia-se "aquele escritório de advocacia que a Dilma disse que possui CINCO membros no bolso".
- Sorria! O Congresso está FECHADO por uma decisão do escritório de advocacia do PT, vulgo STF. Queria saber como é um golpe? Está aí.
- O STF FECHOU O CONGRESSO. Estamos oficialmente sob ditadura. Vão começar a falar em "brasilianização" ao invés de "venezuelização".
- Agora que vivemos oficialmente numa ditadura aliada do Irã onde juízes mandam fechar o Congresso, será que já posso pedir asilo em Israel?
- Falaram tanto em golpe que só pra não ficarem para trás resolveram dar um primeiro.
- Não é à toa que toda hora eles ameaçam "reverter isso no STF". Não é à toa que Dilma disse que "tem 5 ministros". É golpe de estado mesmo.
- Conceito de ironia para esquerdista: escrever "hum", te chamar de "amiga" ou "besha" e mandar "estudar" ou "ler". Eça morreria de inveja.
- "A oposição deveria criar vergonha e deixar a Dilma governar este país", afirmou Lula (UOL). Por que você não sai na rua e diz isso, Lula?
- Wadih Damous, o deputado sem voto posto ali por uma manobra do Lula falando em golpe.
- Se o Eduardo Cunha esperar mais uma semana para aceitar o pedido de impeachment periga algum petista do STF decretar o AI-13 de uma vez.
- Vivemos numa ditadura já pouco disfarçada. O que o PARTIDO não quer, seus FUNCIONÁRIOS como Teori Zavaski BARRAM e pronto.
- Um partido que manobra pra enfiar um rábula sem voto no Congresso com a única serventia de fazer chicana e quer falar em "vontade do povo"?
- A sensação de impotência e o desespero que ela traz pode gerar qualquer tipo de reação numa multidão. E o PT está plantando isso há tempos.
- Não abra mais a boca para falar da Venezuela, você mora numa latrina dominada pelo mesmo tipo de dejeto.
- A pior presidente da história se reúne com parasitas que dependem dela para mamar o dinheiro dos outros e o evento é um "sucesso"? Então tá.
- O Brasil hoje não tem governo, mas um comitê suprapartidário inter-poderes pra melar um processo de impeachment. É só pra isso que funciona.
- O que o Brasil precisa é de uma oposição que diga (e pratique) o seguinte: vai sair por bem ou vai sair por mal, mas vai sair.
- O Moro anda muito quieto, já pensaram que pode ser a maior de todas as tempestades se aproximando?
- Por que o "presidente mais popular da história " não deixa de timidez e faz um passeio a pé na Paulista para receber o carinho do povo?
- Vai lá e diz pra um pai de família ou dona de casa que com a inflação trocou bife por ovo que eles são "moralistas sem moral", queridona.
- Depois do mensalão o critério para nomeação do STF passou a ser "acobertar companheiros". Eles só estão entregando o serviço.
- Não existe mais STF, existe é uma Chicaneria Federal do PT.
- É um churrasco na laje sem fim.
- A frase "A Dilma pedalou, mas foi pra dar benefícios sociais" faz tanto sentido quanto "fulano estuprou, mas é porque ele estava com tesão".
- 15 de novembro falta muito, até lá já coroaram o Lula imperador com um cetro adornado por bananas e mandiocas.

Acompanhe diariamente aqui: https://twitter.com/mvsmotta

terça-feira, 13 de outubro de 2015

O Quaquá de Maricá é a maquete do PT do Brasil


Que o governo Dilma-PT se parece cada vez mais com aquele filme "A Queda" sobre os dias finais de Hitler no seu bunker é notório. Posso visualizar até a cena do führer aos berros trancado numa saleta com seus colaboradores mais próximos fazendo planos mirabolantes enquanto mocinhas choram do lado de fora.

Nesse caso o "führer" é o cruzamento de um barbudo que fala "menas" e de um poste de topete que saúda a mandioca. Além disso não há mocinhas chorando do lado de fora, apenas vagabundos encostados afanando as louças e a prataria antes da boa vida com o dinheiro dos outros acabar.

Mas saindo do mundo dos filmes e passando para a bizarra vida real da política brasileira, temos um exemplo do que é o PT in natura, em estado de guerra permanente e sem o escrutínio da grande imprensa bem à vista de todos, no pequeno município de Maricá, no Rio de Janeiro.

Ali um personagem que bem poderia estar em "O Ditador", de Sacha Baron Cohen, ou "Bananas", de Woody Allen, não só governa a cidade como dita os rumos do PT no estado. Conhecido pelo apelido de Washington "Quaquá", o prefeito de Maricá é o retrato da Era da Mediocridade que assola o país desde 2003.

Envolvido em denúncias e histórias tão bizarras quanto a de um viaduto que não só foi inaugurado duas vezes - com direito a shows de pagodeiros a milhares de reais o cachê - como depois foi transformado numa ponte. 

Isso mesmo, como o requisito para algo ser uma ponte é ter algum obstáculo natural passando por baixo, o Joseph Strauss das bananas mandou que retroescavadeiras aumentassem o tamanho de uma lagoa próxima, para que a sua água passasse embaixo do viaduto transformando-o numa ponte.

Crime ambiental e dinheiro dos outros jogado fora à parte, "Quaquá" também mandou que batizassem um hospital municipal com o nome de "Dr. Ernesto Che Guevara", ainda que o "Dr." no título do porco terrorista seja quase tão merecido quanto o do Dr. Kevorkian. O "quase" fica por conta do fato de que o Dr. Kevorkian só matava quem pedisse por isso.

"Quaquá" ficou mais ou menos famoso no cenário nacional ao pregar que petistas dessem "porrada" nos "coxinhas", ainda que tenha sido ele que levou um pescotapa de um pagador de impostos cansado da sua boquirrotice, como só se referir aos vereadores da oposição como "meninas".

Quer mais? O Kim Jong-un da Região dos Lagos resolveu prestar um serviço às unidades do Minha Casa, Minha Vida, um tal de "Centro da Cidadania e Cultura Popular", sigla: CCCP, o acrônimo russo para a falida União Soviética. O que seriam tais centros? Nada. Apenas polêmica pachorrenta, provocação e fanfarronice de alguém mais adequado a um picadeiro de circo ou a uma comédia pastelão.

O problema, como sempre, é que deixa de ser divertido quando você considera três aspectos: a palhaçada custa caro, essa gente se leva muito a sério e, finalmente, esse viveiro de esquisitices que é a prefeitura do "Quaquá" é uma maquete do que pensa e sonha a maioria esmagadora da companheirada.

No seu "mundo ideal" eles usariam o dinheiro dos outros para fazer o que bem entendessem (como doar 3 milhões da prefeitura para uma escola de samba), homenageariam genocidas, terroristas e ditadores, controlariam a imprensa e sufocariam a oposição.

O Brasil não é Maricá. Ainda. Mas não custa garantir logo de uma vez que jamais seja.

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Eduardo Jorge, o político de esquerda



Eduardo Jorge foi fotografado dormindo num trem do metrô de São Paulo.
No país onde até vereadores andam em carros oficiais, onde prefeitos de municípios tão paupérrimos quanto irrelevantes têm direito a motorista e seguranças, aguardo fotos de políticos de outros partidos e matizes andando num metrô, trem, ônibus ou até mesmo um desses táxis amarelinhos.
Sérgio Moro está dispensado desse teste, primeiro porque não é político, depois porque já passou nele. Anda de avião de carreira pagando a própria passagem e usa táxis comuns para se deslocar pelas cidades que visita para dar palestras ou ser homenageado.

Eduardo Jorge é meio maluco beleza? É. Eduardo Jorge é de esquerda? Sim, esquerdaço. Mas não é um desonesto que não pratica o que prega, pelo contrário, é daquele tipo de pessoa que você pode dialogar e chegar a um denominador comum.
Eduardo Jorge foi o "candidato doidão" da última eleição? Sim. Mas tirando o fato de ser uma "doideira" leve, positiva, diferente daquelas caras de raiva dos lunáticos do PSOL, ele é um ex-candidato presidencial que usa transporte público, anda de bicicleta e fala a língua do cidadão.
O PT não gosta dele, claro. Mais um monte de gente no mundo da política também não deve gostar.
Certos exemplos são perigosíssimos.

Eu não sabia de nada


Já notou a incrível dificuldade que um esquerdista tem de responder perguntas diretamente? Nada, absolutamente nada para eles é "sim" ou "não", nem mesmo questões que não admitem variações.

Por exemplo:

- O regime cubano matou opositores ou não?

-Veja bem...

Mas não para por aí. Se a pergunta for mais simples ainda, como, por exemplo:

- A bandeira da China é vermelha?

Eles começarão com uma aula:

- A escala CMYK...



E no final vão sair com algo do tipo:

- Enfim, para um rico explorador que vê tudo de cima de um helicóptero pode ser de qualquer cor, depende da subjetividade, mas para um pobre é a cor da igualdade social.

Nem coisas teoricamente impossíveis de se distorcer, como o relógio, estão imunes à esquizofrenia marxista:

- Poderia me informar as horas, por favor?

- Não sei, mas nesse exato momento algum trabalhador é espoliado pelo regime capitalista burguês cristão machista homofóbico que você apóia.

Chega a ser perigoso dar um simples "bom dia".

- Bom dia pra quem? Para você, homem branco cis de classe média ou para o resto dos oprimidos do mundo?


E quando mudam de assunto descaradamente para fugir do que seja desconfortável para eles?

- Dilma pedalou?

- A bicicleta é um importante meio de transporte alternativo e...

- As ciclovias do Haddad foram mal planejadas?

- Um carrocrata jamais vai entender que o Bolsa Família é importante.

- Lula é um camelô de empreiteira?

- O controle da mídia seria muito importante para impedir a xenofobia contra nordestinos.

A maquiagem de contas quando chegam ao governo, a mentirada para vencer eleições, as realizações que cabem muito mais num filmete de marketing mequetrefe do que no mundo real, tudo isso é apenas reflexo da desonestidade intelectual de gente que acredita que suas soluções são "melhores para o mundo" simplesmente porque eles estão dizendo que é e pronto. Não interessa se a prática já destruiu suas teses uma a uma.

Mas isso é quando eles ainda acreditam mesmo, né? Porque depois que passam para o cinismo seu repertório de frases enganadoras se resume a duas:

- Roubei, mas foi pelos pobres.

E:

- Dr. delegado, eu não sabia de nada.

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Diversidade, multiculturalismo, tolerância e empoderamento


A esquerda-progressista-justiceira-social é expert em pegar qualquer palavra inofensiva (ou não) e transformá-la na representação verbal e escrita de um pé no saco.

Por exemplo, veja o caso de "diversidade". Diversidade pode ser um saco de Skittles, um rodízio de churrasco, uma viagem com 6 destinos diferentes. Mas de uns tempos pra cá virou uma palavra usada para te dizer o que você é OBRIGADO a gostar, aturar e agir como se fosse tão legal quanto um saco de Skittles.

Depois que a palavra "diversidade" acasalou com o termo "multiculturalismo" e trouxe à luz uma ninhada de filhotes politicamente corretos, ela virou parte da defesa desde lunáticos muçulmanos até música ou qualquer outra arte ruim.

O mesmo se deu com "preconceito", "feminismo", "coletivo" e até "urbano" e "social". Quem não sente falta de quando "construção" era apenas um monte de homens trabalhando com cimento, brita, tijolos e fazendo acabamentos no final? Nada de "construção social" ou "construção de consenso". E não poderia esquecer jamais de "tolerância", essa palavrinha mágica que passou a querer dizer "engula quem não te engole".

Mas talvez nada seja mais asqueroso atualmente, mais até do que "democratização" ou "problematização" do que "empoderamento".

Empoderar significa basicamente "dar poder a quem não tem", mas isso seria apenas caso valesse o que está escrito no pai dos burros.

O que a esquerda-DCE conseguiu vai bem além disso. Para essa gente empoderar é mais ou menos o mesmo que agir como um louco com mania de perseguição, ser agressivo, escroto, hipócrita, incoerente, mitômano, usar argumentos mequetrefes, desconhecer ironia e passar os dias chorando por aí sobre como se acha injustiçado e sofre preconceitos, mas fazendo isso de forma a cometer ainda mais injustiças e sendo mais preconceituoso do que aqueles que acusa.

Resumo: "empoderamento" é uma merda.

Aliás, não, a esquerda-progressista-justiceira-social é que é.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Os golpes do PT na Câmara

Preste atenção nestes nomes: João Paulo Cunha, Severino Cavalcanti, Aldo Rebelo, Arlindo Chinaglia, Michel Temer, Marco Maia, Henrique Alves e Eduardo Cunha.
Todos presidentes da câmara dos deputados no período negro da Era da Mediocridade lulopetista.
Um é um criminoso condenado que passou um período no presídio da Papuda. Outro foi acusado de cobrar um "mensalinho" do restaurante da câmara. Outro foi acusado de receber doações de patrocinadores da CBF, entidade com interesses no ministério que ocupou. Um outro ainda foi acusado por Roberto Jefferson de tentar encobrir o mensalão e foi envolvido nas investigações da operação fratelli sobre a máfia do asfalto. Um outro foi comensal tão importante do projeto de poder lulopetista que virou vice-presidente da República. Outro foi eleito presidente da casa enquanto era alvo de processo eleitoral em seu estado. E outro é acusado de receber dinheiro do petrolão.
Destes, somente dois tiveram seus mandatos na presidência da câmara ameaçados: Severino Cavalcanti e Eduardo Cunha.
Esqueça por um momento o que você pensa de ambos. Deixe seus sentimentos de lado por um segundo e pense no que os dois têm em comum: o fato de chegarem ao cargo contra a vontade do PT e de seus braços nas instituições e na imprensa.
Você pode até achar que são todos mais ou menos da mesma cepa, alguns um pouco melhores, outros um pouco piores, não importa, mas seus "crimes" imperdoáveis e incontornáveis não foram de natureza ética, mas de natureza política, eles atrapalharam os planos do PT.
Severino se elegeu contra Luiz Eduardo Greenhalgh, um capa preta do PT paulista que tem papel obscuro e incerto no caso Celso Daniel. Cunha se elegeu contra o mesmo Chinaglia que não passa de um estafeta da cúpula da companheirada.
O fato claro, independente da culpa ou não de Eduardo Cunha, é que se ele fizesse genuflexão para a seita, seria poupado do sacrifício como tanta gente também denunciada foi salva da mesma situação.
O PT possui duas máquinas: uma de lavar reputações e abafar "problemas" e outra de enlamear nomes e sujar adversários. Ajudado por seus militantes na imprensa e no judiciário tudo tem dado certo até aqui.
Se eles gostam do presidente da câmara, ele fica, mesmo que vá levar os filhos para ver um jogo do Barcelona usando o dinheiro dos outros.
Não estou defendendo a impunidade, que qualquer um que cometa ilícitos responda na medida dos seus atos, mas na Era da Mediocridade esses conceitos são elásticos e geralmente não se aplicam quando o elemento interessa ao "projeto".
Se eles não gostam, o sujeito cai antes do mandato terminar. Simples e direto desse jeito.
E os outros é que são golpistas.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

A República dos medíocres

Raciocine comigo: você é um sujeito de qualidade mediana e sem muita competência para nada, é colocado num cargo de prestígio não pela sua competência inexistente, mas para agradar quem te colocou ali.
A que vai se dedicar uma vez empossado? A tentar ser competente - coisa que não é - ou agradar seus senhores que te deram aquele posto que você jamais teria por méritos próprios?
Essa é a essência de quase todo ministro de Estado ou do STF e demais tribunais superiores que o PT colocou nos prédios públicos e palácios de Brasília.
Tem como dar certo? Pergunto isso para você, claro, porque pra eles dá muito certo.

Benjamin Netanyahu e o silêncio da ONU


"O Irã prometeu, e eu cito, "não haverá Israel em 25 anos". Setenta anos depois do assassinato de seis milhões de judeus, os líderes do Irã prometem destruir o meu país, assassinar o meu povo, e a resposta desta entidade, a resposta de praticamente todos os governos representados aqui tem sido ABSOLUTAMENTE NADA a não ser o silêncio, um silêncio ensurdecedor".
Benjamin Netanyahu.
Logo após dizer isso ele encara os presentes na assembléia geral da ONU por 45 segundos de constrangedor silêncio, o silêncio da vergonha dos que nada fazem em relação às ameaças do Irã à Israel.
Israel viverá para sempre. Pelo bem da humanidade Israel deve viver para sempre. Am Yisrael Chai!

Dilma versus Dilma

Ontem um personagem tosco e de péssimo gosto rompeu relações com outro personagem tosco e de péssimo gosto. Falo da "Dilma Bolada", espécie de travesti virtual que fazia humor a favor do governo anunciando que deixava de apoiar Dilma Rousseff, a travesti de presidente que faz humor negro involuntário.
O perfil nas redes sociais é controlado por Jeferson Monteiro, um militante petista que a imprensa chama de publicitário e que é acusado pela revista Época de receber 20 mil mensais de uma agência de propaganda ligada ao PT para fazer este "trabalho". Jeferson, como todos com algum tipo de relação com este governo, nega que receba algo.

Dizia fazer isso por convicção.
O.K., digamos que fizesse mesmo isso por convicção, o que mudou de 2014 - quando, entre insultos e piadas de mau gosto contra Aécio Neves, a "Bolada" chafurdou no método João Santana e ajudou a eleger Dilma - para agora, quando o suposto publicitário alega não apoiar mais Dilma porque ela "vendeu seu governo ao PMDB e aos banqueiros e empresários"?
Então até o final 2014 aquele sujeito com pinta de mordomo de filme de terror que ocupa a vice-presidência era filiado ao PC do B e só depois trocou de partido? Antes de 2015 o Eike Batista, o Marcelo Odebrecht ou qualquer desses outros empresários "campeões nacionais" e "amigões" do PT eram apenas feirantes que ajudavam uma ONG que distribuía sopões?
Não vou afirmar que o que ocorreu é que provavelmente as vacas magras e a péssima popularidade da Dilma presidente tornaram difícil o humor oficialista e o fluxo de pixulecos, porque seria leviano de minha parte, mas o "publicitário" precisa explicar melhor essa sua conversão, porque, afinal, o governo Dilma, aliás, o governo do PT é esse aí mesmo desde 2003: o do mensalão, do petrolão, da base fisiológica, da compra de apoios, do bolivarianismo, do loteamento dos cargos públicos, dos banqueiros lucrando, do "eu não sei de nada".
O Jeferson pode dizer, por exemplo, que "só viu isso tudo agora", que "fora abduzido do próprio corpo pelos mesmos ETs que abduziram seja lá quem for que habita aquele corpo que atende por Dilma Rousseff e fala aquele estranho idioma" ou qualquer outra desculpa, porque essa fica difícil de aceitar pacificamente.
A impressão é que o rapaz já andou conversando com algum marqueteiro do PMDB e que vem por aí a "Dilma TEMERária".
Mas o pior nem é isso. Vai que algum argumento do PT consegue convencer o Jeferson a voltar a ser a Bolada de sempre?
Ele (ou ela, sei lá) vai dizer o quê para avisar aos fãs que Dilma reatou com Dilma "por convicção" novamente? Melhor nem pensar.