quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Dilma versus Dilma

Ontem um personagem tosco e de péssimo gosto rompeu relações com outro personagem tosco e de péssimo gosto. Falo da "Dilma Bolada", espécie de travesti virtual que fazia humor a favor do governo anunciando que deixava de apoiar Dilma Rousseff, a travesti de presidente que faz humor negro involuntário.
O perfil nas redes sociais é controlado por Jeferson Monteiro, um militante petista que a imprensa chama de publicitário e que é acusado pela revista Época de receber 20 mil mensais de uma agência de propaganda ligada ao PT para fazer este "trabalho". Jeferson, como todos com algum tipo de relação com este governo, nega que receba algo.

Dizia fazer isso por convicção.
O.K., digamos que fizesse mesmo isso por convicção, o que mudou de 2014 - quando, entre insultos e piadas de mau gosto contra Aécio Neves, a "Bolada" chafurdou no método João Santana e ajudou a eleger Dilma - para agora, quando o suposto publicitário alega não apoiar mais Dilma porque ela "vendeu seu governo ao PMDB e aos banqueiros e empresários"?
Então até o final 2014 aquele sujeito com pinta de mordomo de filme de terror que ocupa a vice-presidência era filiado ao PC do B e só depois trocou de partido? Antes de 2015 o Eike Batista, o Marcelo Odebrecht ou qualquer desses outros empresários "campeões nacionais" e "amigões" do PT eram apenas feirantes que ajudavam uma ONG que distribuía sopões?
Não vou afirmar que o que ocorreu é que provavelmente as vacas magras e a péssima popularidade da Dilma presidente tornaram difícil o humor oficialista e o fluxo de pixulecos, porque seria leviano de minha parte, mas o "publicitário" precisa explicar melhor essa sua conversão, porque, afinal, o governo Dilma, aliás, o governo do PT é esse aí mesmo desde 2003: o do mensalão, do petrolão, da base fisiológica, da compra de apoios, do bolivarianismo, do loteamento dos cargos públicos, dos banqueiros lucrando, do "eu não sei de nada".
O Jeferson pode dizer, por exemplo, que "só viu isso tudo agora", que "fora abduzido do próprio corpo pelos mesmos ETs que abduziram seja lá quem for que habita aquele corpo que atende por Dilma Rousseff e fala aquele estranho idioma" ou qualquer outra desculpa, porque essa fica difícil de aceitar pacificamente.
A impressão é que o rapaz já andou conversando com algum marqueteiro do PMDB e que vem por aí a "Dilma TEMERária".
Mas o pior nem é isso. Vai que algum argumento do PT consegue convencer o Jeferson a voltar a ser a Bolada de sempre?
Ele (ou ela, sei lá) vai dizer o quê para avisar aos fãs que Dilma reatou com Dilma "por convicção" novamente? Melhor nem pensar.
0 Comentários