segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Não, eu não te devo nada


Harvard: mulher invade uma sala de aula e chama todos os presentes de "cuzões" que lhe devem "até a alma". Você consegue imaginar essa cena? Porque nas universidades brasileiras está virando algo constante.

É por isso que Harvard possui 47 premiados com um Nobel, enquanto todas as universidades brasileiras juntas não têm nenhum.

Excetuando-se áreas médicas e tecnológicas, as universidades do Brasil não produzem nada de relevante para ninguém além daqueles que recebem bolsas e salários para teorizar sobre nada. Não passam de desperdícios de papel.

Dessa vez foi uma barraqueira desclassificada do "movimento negro" que invadiu uma sala de aula chamando os alunos que estavam ali de "brancos cuzões que devem até a alma", porque "a alma é só uma gota do que devem".

Parece que o rotativo desse cartão da "dívida histórica" já girou e a alma só não basta, eles querem algo que não tem nem nome. Risos.

O fato é: quem assiste esse tipo de boneca de vodu fazendo barraco, vomitando idiotices e fica ali sentado ouvindo sem nem ao menos levantar e deixá-la ali falando sozinha, merece mesmo ser ofendido. 

Convenhamos, seja por que motivo for, alguém invadir uma aula, ofender todos os presentes e se comportar como se fosse credora de qualquer coisa que ela definitivamente não é e ainda merecer a deferência da atenção alheia é premiar o medíocre, o vitimista, o eterno coitadinho malandro que deseja GANHAR coisas do estado e da sociedade.

Por essa lógica que defende que o ofendido pode fazer o que quiser, um dos que foram chamados de "cuzões que devem até a alma" poderia levantar dali e mandá-la tomar caju, que estaria tudo bem, afinal tudo seria uma "reação às ofensas proferidas". 

Ninguém percebe onde isso pode acabar? 

A realidade é: ninguém deve NADA a essa gente. Não é porque eles aprenderam na ONG que são eternos credores do mundo que essa bobagem passa a ser realidade. Um negro ou branco que precisa cuidar da vida não tem tempo para viver fazendo guerra racial em sala de aula. Isso é coisa de encostado.

Só alguém que desde pelo menos o ensino médio leva curra intelectual de professor marxista e que acredita nessa luta de classes das bananas é que se sujeita a isso. O problema é que esse tipo de idiota é hoje a maioria no ensino dito superior.

A pessoa tem o direito de se manifestar? Sim, tem. Mas sempre dentro das normas da civilidade e sabendo que a 3ª lei de Newton ainda não foi revogada por alguma liminar do STF do PT.

Caso contrário, não tem direito de reclamar da reação alheia.
0 Comentários