segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Mas e ele?

- Ele também roubou!
- Mas e o cunhado do Serra?
- E a lua de mel do Aécio?
- É golpe!
- Só pegam petista, por que será? 
- Nunca se fez tanto.
Desde o mensalão os argumentos que a direção do PT sopra para sua militância nas ruas, na internet e na sub-imprensa são os mesmos.
Invariavelmente o PT é vítima de perseguição não pelos seus esquemas mastodônticos de corrupção, mas pelas suas virtudes na "democratização" de tudo, desde o acesso dos mais necessitados à universidade até ao saguão dos aeroportos.
Concluí-se com esse raciocínio que os adversários do partido na sociedade - e veja que nem falo de partidos políticos - são pessoas que na realidade não se incomodam de serem roubadas e enganadas, mas de dividir a carteira universitária e a poltrona do avião com o seu porteiro ou a empregada.
Essa fábula que funcionou tão bem até aqui determina que os bons ladrões são melhores do que suas vítimas elitistas, rancorosas e preconceituosas.
O problema é que se tanto a suposta intolerância dos seus adversários quanto sua "competência" e "ação a favor dos pobres" são produtos de marquetagem de gosto duvidoso, os resultados de tantos anos de saques e falta de ação concreta e responsável são inexoravelmente reais.
O pobre está ficando mais pobre com tanta inflação, a nova classe média criada através de manobras estatísticas, crédito e propaganda está cada dia mais com medo de voltar à antiga situação, milhares de postos de trabalho são fechados por dia, obras estão paralisadas, o mercado imobiliário vive uma crise depois da loucura que foram os últimos anos, enfim, toda aquela alegoria carnavalesca de isopor, papel e espuma está se desmontando a olhos vistos, mas o petismo insiste em enfrentar a realidade fazendo e falando as mesmas coisas, esperando que algum resultado positivo saia disso.
É como se hoje uma tropa com mosquetes e espadas fosse a campo lutar contra drones e tanques da realidade.
Só porque deu certo um dia, não quer dizer que vai funcionar sempre.
O lado bom é que a derrota do petismo será a vitória do resto do país. É hora de andar para frente.
0 Comentários