sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Você não dá seu voto, mas o empresta

Quando o PSDB diz que é "oposição a favor do Brasil", confesso que não entendo muito bem, afinal, não existe outra oposição que seja a favor do Brasil e também não seja totalmente contra o PT em todos os aspectos. Impossível ser um e não ser o outro.
Quando Aécio diz que Dilma não tem mais condições de governar, concordo com ele plenamente. Não tem mesmo. Mas quando diz que está disposto a "colaborar com o governo" caso seja necessário, volto a ficar confuso, porque a única colaboração com este governo que seja, como diz o seu slogan, "a favor do Brasil" é oferecer a caneta para que a presidente assine sua renúncia.
Qualquer outra coisa é a favor do PT, é a favor do complexo de esquerda do PSDB, da pusilanimidade com a qual se faz oposição num país onde todo mundo quer ser governo, mas a favor do Brasil não é.
Políticos gostam de dizer que "ganharam não sei quantos votos na eleição", mas estão errados. O eleitor não dá seu voto, o eleitor empresta.
Cabe ao político saldar essa dívida ou rolá-la durante seu mandato, merecendo novo empréstimo ou enrolando o credor, pedalando com o mandato.
Aécio recebeu 51 milhões de votos emprestados. Não sei quantos ainda teria hoje, mas com certeza Dilma não teria aqueles 54 milhões que recebeu.
Aécio precisa fazer valer o empréstimo que Dilma já perdeu. Ele tem o futuro pela frente para fazer isso, resta saber se o fará. Até lá milhões vão ficar por aí perambulando à procura de quem represente seus anseios e suas frustrações.
Dilma por enquanto não precisa se preocupar. Ainda que tenha perdido milhões de votos e tenha dificuldade de comprar 171 deles na câmara, ela ainda pode contar com 6 ou 7 ministros do STF que melam o jogo para salvar a chefe se for o caso.
Essa é a democracia em que você vive.
0 Comentários