sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Dilma no congresso

Essa semana, num ato de desespero, Dilma resolveu fingir que respeita as instituições e dá a mínima para a separação dos poderes e foi ao congresso apresentar a mensagem do governo para o ano legislativo.
Despejou platitudes, mentiu um pouco para não perder o costume e defendeu aberrações como aumentar a carga tributária. Levou uma merecida vaia.
Quando falou do surto do vírus zika no país como se não tivesse nada com isso, como se não fosse a responsável direta pelo caos na saúde brasileira, foi interpelada por uma deputada da oposição e perdeu o balanceio do topete.
Pela campanha suja que fez para se reeleger, pela pilhagem que seu partido promove no país, pela crise econômica que está falindo a economia, pela falência na educação e por todo o resto que o seu péssimo governo faz e deixa de fazer, merecia bem mais do que uma vaia.
Mas a crônica política brasileira, os "formadores de opinião" e, claro, a classe política mais imunda do planeta, achou a vaia um absurdo, uma falta de civilidade, um "desrespeito à instituição da presidência", uma falta de "liturgia".
Liturgia. Num plenário cheio de prontuários e mandados de prisão prestes a serem expedidos. Se não fosse nauseante seria até engraçado.
Então quer dizer que mentir, difamar, caluniar, se cercar de corruptos e quebrar o país tudo bem, mas vaiar quem faz isso é o fim?
Porque, claro, o brasileiro deve ser sempre cordial, não deve vaiar presidente, só matar gente no SUS com a corrupção e assassinar futuros num sistema de educação panfletário e inútil.
O país quebrado, o povo MORRENDO, um surto de MICROCEFALIA roubando vidas, desemprego, violência urbana, favelização, estatais loteadas e saqueadas, e tem cretino preocupado com "etiqueta parlamentar"? Com "respeito às instituições"?
Afinal, vamos respeitar a "instituição presidência" essa coisa abstrata que só serve pra te ferrar, sacanear e roubar de forma bem concreta.
Vou ser bem claro: enquanto houver um cidadão sequer deitado numa pia, numa maca ou no chão de um hospital, as instituições deste país não merecem respeito. Merecem é vaia e muito mais do que vaia.
E têm mais é que agradecer enquanto fica só na vaia.
P.S.: Saio de folga hoje e só retorno após o carnaval. Boa folia para quem for de folia, juízo, e bom descanso para quem for de descanso, você é do meu clube. Até a volta!
0 Comentários