segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Não tem mais como defender o PT e se dizer inocente

Nem que seja do fato de ser burro, teimoso ou orgulhoso demais para admitir um erro.
Quem vai abastecer um carro e paga o preço da roubalheira na Petrobras, quem anda no centro de qualquer cidade e vê as lojas fechadas, quem anda nos péssimos e caros transportes públicos, quem observa a poluição do ar e das águas, a falta de saneamento básico, a feiura de nossas cidades.
Quem vai ao supermercado e treme com o fantasma dos anos Sarney, quem não viveu os anos Sarney e deveria ter pavor de conhecer aquilo, quem assiste a "presidenta" ou seus ministros falando sempre em mais impostos e nunca em cortes de gastos inúteis.
Quem não está encostado em algum cargo comissionado, quem não tem contrato com algum ministério (superfaturado ou não), quem não vive de leis e incentivos fiscais, quem não é corrupto e está por aí se sustentando do sofrimento alheio.
Quem não passeia em jatinho de empreiteira, quem não ganha reforma de graça no apartamento, quem não vira empresário de sucesso depois que um progenitor vira presidente, quem não é comensal dos rega-bofes imorais de Brasília.
Quem não tem verba de gabinete, não anda em carro oficial, não ganha adicional só porque fez o que não passa de sua obrigação como comparecer ao trabalho, quem não faz piada com os indignados por pagar uma corte que só é eficiente em arrecadar e gastar.
Quem se compadece dos que não têm plano de saúde e precisam usar os açougues do SUS, quem se sacrifica para pagar mensalidades de colégios particulares para que seus filhos tenham alguma chance, quem assiste os telejornais falando de carnaval enquanto um mosquito espalha doenças e parasitas carcomem o país.
Quem sofre deboches porque reclama do preço do dólar, que encarece desde o seu pão até suas férias, quem é chamado de "elite" porque vive do seu trabalho, quem não é filhote da lei Rouanet, quem não vive preso a ideologias falidas do século passado.
Quem não é jornalista estatizado, blogueiro pago com banner e propaganda do governo, músico que recebe cachê de prefeituras para tocar na quinquagésima inauguração da mesma obra, artista com carguinho na "cultura" ou patrocínio estatal.
Quem faz ou deixa de fazer tudo isso não tem como apoiar o PT a não ser por burrice ou teimosia. Porque o resto, este está todo comprado e vale muito menos do que o que recebe para se vender.
0 Comentários