quinta-feira, 31 de março de 2016

Dissecando o manifesto de "artistas" a favor de Dilma Rousseff

Chico Buarque, famoso compositor brasileiro que é famoso por ser famoso. Compôs a última coisa mais ou menos há uns 40 anos. Vive de PT.
Zé de Abreu. Ator de novela porque até ex-BBB faz novela. Vive o dilema de puxar o, quer dizer, de manter uma respeitosa relação com o patrão (a Globo) para viver e depois se juntar aos que falam mal dele pela internet para puxar o saco do partido. Defende o Brasil, de Paris.
Letícia Sabatella. Atriz famosa por atuar como atriz de manifestos de atrizes a favor do PT. Seu outro sucesso é o papel de mala sem alça. Já era uma chata politicamente correta mesmo antes de inventarem o politicamente correto.
Tico Santa Cruz. Reconhecido internacionalmente como o maior intérprete de Tico Santa Cruz do mundo, mas isso porque ninguém mais quer.
Wagner Moura. Tão bom em política quanto cantando músicas do Legião Urbana. Acha que tem fãs, mas eles gostam mesmo é do capitão Nascimento.
PC Siqueira. Youtuber. Pronto, não precisa falar mais nada dele.
Bemvindo Sequeira. Parece aquele ator que era da Praça é Nossa que parece o que era do Zorra Total que parece o que era do Bozo que parece o que era do Balança Mais Não Cai. Grande astro do traço em audiência.
Dany Glover. Americano, paga impostos nos Estados Unidos, recebe serviços públicos nos Estados Unidos, não mora no Brasil, quando vem é a passeio. Assim até eu apoiaria o PT.
Beth Carvalho. A última vez que emplacou um sucesso a música tocou num rádio de pilha. Proibiu a execução de suas obras em atos pró-impeachment, o que é quase como proibirem alguém de comer areia. Famosa por seu samba ter sido executado em Marte, a única pena é que não foi com ela lá tocando ao vivo.
Camila Pitanga. Filha do petista Antônio Pitanga, enteada da petista Benedita da Silva, garota propaganda de estatal. Se essa não fosse a favor do PT nem o Lula seria.
Alcione. Cantora, pagodeira, sei lá mais o que. Seu apelido é "a marrom", o que explica muita coisa, diria até quase tudo.
Paulo Betti. Disse que política se faz botando a mão na merda. Provou isso com sua atuação no famigerado filme "Chatô", de Guilherme Fontes. É mais um desses que se não existissem novelas ruins, filmes com incentivo fiscal e o PT, não necessariamente nesta ordem, seriam excelentes gerentes do Bradesco.
Tem mais gente, mas eu juro que nem pesquisando no Google consegui descobrir quem é.
0 Comentários