quarta-feira, 2 de março de 2016

O feminismo ontem e hoje

O feminismo já foi sinônimo de mulheres lutando por coisas como direito ao trabalho, ao voto, à igualdade de direitos e oportunidades, à liberdade de ser quem quiser, de se separar do marido e recomeçar a vida sem carregar estigmas sociais e legais.
Hoje feminismo não passa de um playground de mafaldinhas mimadas, que acham que podem ganhar tudo no grito ou fazendo cara feia (o que em certos casos nem é um grande esforço).
As atitudes falam por si e o que já foi feminismo um dia agora se resume a outro movimento, outra coisa qualquer, que poderia ser chamada muito bem de escrotismo.
A "luta" delas hoje é para ir com roupas sumárias em uma escola particular que, como tal, tem direito de impor as regras que bem entender aos seus alunos, deixar uma floresta no sovaco ou então de choramingar contra "cantadas" na rua, mesmo aquelas que claramente não recebem cantadas na rua.
Enfim, trata-se de algo caricato, exagerado e cheio de gente com tempo demais e vida para cuidar de menos.
Mas vamos em frente.
Resolveram fazer um vídeo para "provar" como homens também ficam desconfortáveis com cantadas. Colocaram um gay numa escada rolante alisando homens que desciam na escada do outro lado e colheram as reações mais variadas, a maioria delas de reprovação, xingamento ou encaradas de lutador antes de soar o início da luta.
Pronto! Provaram que homens também não gostam de "fiu-fiu".
O problema é que ali não se trata de recusar um assédio e sim de recusar um assédio de alguém do mesmo sexo. Ponto.
Para o "teste" ser real, deveriam colocar uma mulher gata e uma feia na mesma escada e filmar as duas alisando os caras.
O resultado seria mais ou menos esse: a maioria dos homens curtiria a cantada da gata, alguns não curtiriam a da feia e alguns achariam graça de tudo. Mais ou menos como aconteceria se a mesma experiência fosse feita com mulheres, tirando a última parte, já que algumas delas hoje em dia parecem ser incapazes de achar graça em qualquer coisa.
O cara bonito seria bem tratado e o feio chamado de estuprador pra baixo.
Porque o problema, convenhamos, não é cantada e nem "fiu-fiu". É cantada de feio ou em muitos casos, não todos, mas muitos, de um feio que não esteja passeando de Lamborghini.
0 Comentários