sexta-feira, 15 de abril de 2016

O "partido do povo" com medo do povo

O PT se diz o partido do povo. Jura que representa milhões de votos contra uma minoria que não aceita perder. Exige que os 54 milhões de votos recebidos pela Dilma numa eleição suja, como se os votos outorgassem uma legitimidade absoluta.
Logo, quem deseja aplicar a lei e punir Dilma e o PT pelos seus crimes é "golpista" que não se conforma com o resultado. Logo o PT, que ignorou solenemente o resultado do plebiscito sobre o desarmamento porque, daquela vez, o "povo" não falou o que o partido gostaria de ouvir.
Caso o PT confiasse mesmo nessa sua força popular, aceitaria um recall no voto direto. De quanto será que perderiam?
Como não possui votos, o partido utiliza o que sempre teve: a estridência. Grupelhos sustentados com o dinheiro dos outros que agem como o braço paramilitar do partido.
Por isso às vésperas da votação do impeachment de Dilma Rousseff, o MST e outros satélites do PT fecham ruas, ameaçam invadir propriedades, queimam pneus. Para intimidar aqueles que já não caem mais nas mentiras do grande líder e do seu estafermo.
Essas badernas em vários locais do Brasil mostram que é urgente desmantelar essas milícias do PT disfarçadas de sindicatos e movimentos sociais.
Não é compatível com a democracia que um partido use dinheiro sujo pra montar exércitos de vagabundos para impedir que as instituições ajam e ameaçar a maioria da população que é pacífica, trabalhadora e ordeira.
Nada é mais golpista do que isso.
0 Comentários