segunda-feira, 30 de maio de 2016

Os ataques do PT


Já viu nesses filmes ou até mesmo na vida real quando um sujeito é preso pela polícia, já está algemado e tudo mas esperneia, luta e dá aquela última resistida antes de ser encaçapado no camburão?
Então, é exatamente o que essa militância do PT anda fazendo na rua, quebrando tudo, pichando muros e casas, cuspindo, defecando, ofendendo, dando faniquito.
Até eles sabem que a farra acabou, o problema é que pensavam que iam ficar até 2018, depois mais uns 8 anos com o Lula, depois com algum outro boneco igual a Dilma e tomaram uma rasteira do PMDB.
Estão incrédulos, esperneando, mas no final das contas vão pro camburão do mesmo jeito.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

O grelo duro e a "cultura do estupro"


O absurdo estupro coletivo de uma menina divulgado por um facínora na internet me dá oportunidade de falar logo de dois assuntos, mas que na verdade são um só.

Faço essa afirmação arranhando no dilmês e já me explico: não mais que de repente o que era sobre um crime cometido por bandidos contra uma garota virou um duelo de textão nauseante num desfile de canalhice da esquerda.

O princípio é basicamente o mesmo, ou seja, dane-se a vítima, dane-se o crime, dane-se a justa e necessária reação da sociedade sobre o caso.

Vamos aproveitar a brecha para fazer demagogia esquerdopata e cafajestagem femidoida, chamar homens de estupradores em potencial e projetar o crime em nossos inimigos políticos, justamente aqueles contra quem nos insurgimos para defender as "vítimas da sociedade".

E assim as aves de rapina e as varejeiras do desastre humano entraram em polvorosa, acusando TODO homem de ser um "estuprador em potencial", jogando a fatura da desventura da moça nos "fãs do Bolsonaro" e na "sociedade patriarcal" que promove uma tal "cultura do estupro".

Sub-celebridades, bozos de YouTube, deputados do baixíssimo clero que só tem visibilidade porque são de partidos tratados pela imprensa como um misto de reserva e zoológico do comunismo, feministas de galinheiro, capados mentais e demais abusados intelectualmente pelo esquerdismo de tampa de ralo, toda essa gente que diz que funk é cultura, apóia aula de sexo para crianças e tem peninha de marginal "vítima da sociedade".

Logo eles, vindo ME chamar de estuprador em potencial? Logo eu que defendo pena de morte ou pelo menos castração química obrigatória para esse tipo repulsivo?

Logo eu que defendo que o cidadão de bem - e pode espernear se você detesta o termo, porque o contrário é o cidadão do mal - possa ter porte de armas para defender sua família? Logo eu que não acho favela uma "beleza da natureza humana mais simples" e nem relativizo crime ou esculhambação social? Não mesmo.

Esquerdismo é uma droga que prejudica mentes em geral, mas que em homens especialmente estraga as duas cabeças: castra a de baixo, transformando o sujeito num projeto mal acabado de macho beta com vontade de ser uma obesa com sidecut e cabelo no sovaco e a de cima, fazendo com que vire um imbecil que realmente acha que existe um estuprador adormecido dentro de si.

Fale por você. Aceite você esse tipo de acusação vindo de gente que se diz tão esclarecida, avançada, à frente dos demais, mas que vive num estado de servidão mental tamanho que se sujeita a aceitar qualquer coisa que venha da esquerda.

Até mesmo que um bronco analfabeto as chame de "grelo duro" e transformem isso em elogio, bandeira e até auto-identificação.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

E se o Jucá fosse petista?

Se Romero Jucá fosse petista e Dilma ainda fosse a "presidenta", com a divulgação dos grampos indecentes hoje você não veria uma demissão em 12 horas, mas algo mais ou menos assim:

- Jucá negaria peremptoriamente que que é a voz dele no grampo.

- o instituto Lula e o PT sairiam em defesa do ministro perseguido por querer que pobre ande de avião.

- A CUT, o MST e a UNE ameaçariam parar o país botando fogo em pneus, ao fundo das reportagens você ouviria o coro "Jucá, guerreiro do povo brasileiro".

- Os blogs sujos pagos pelo PT com dinheiro mais sujo ainda denunciariam um complô jurídico-midiático-coxinha-estadunidense para desestabilizar o país e impedir o pobre de ir para a faculdade.

- Dilma declararia que confia no seu ministro porque balões de encher são cheios de ar, logo cavalos não nadam.

- A Globo teria acesso a uma perícia confirmando que a voz era mesmo do Jucá.

- O instituto Lula não emitiria nota, o PT emitiria nova nota convocando a militância para protestar na frente da Globo, da Veja e da creche dos filhos do Aécio.

- Jucá diria que a voz é mesmo dele, mas que suas falas foram tiradas de contexto e quando disse que "precisaram parar o filho da puta do Moro e melar a lava-jato" ele na verdade dizia que precisavam comprar mais marshmallow para a festa do seu filho.

- Os blogs sujos perguntariam onde estavam os arapongas criminosos da PF que grampearam o perseguido Jucá e não prenderam o dono do helicoca, os tucanos da privataria e nem impediram o David Luiz de ser zagueiro da seleção.

- Dilma diria que não pode dizer se uma canoa é feita com 5 ou 6 paus, porque na verdade é o dono da canoa que decide isso e seu ministro é inocente.

- A Veja teria acesso a documentos que provam que Jucá traficava diamantes dentro de crânios de fetos de mico-leão e que conspirava para explodir a cadeia da PF em Curitiba e levar todos os companheiros para um retiro em Varadero.

- O instituto Lula lançaria nota dizendo que o ex-presidente nunca esteve pessoalmente com Jucá e que, se esteve, não lembra. O PT reafirmaria pela milésima vez que Jucá é vítima de perseguição política e que o pobre vai comer carne sim, ainda que a elite não queira.

- Os blogs sujos e a militância imbecilizada na internet lançariam um tuitaço com a hashtag #DáCáJucáOMeu, Zé de Abreu faria um cuspaço virtual em defesa do amigo e iniciaria uma vaquinha para custear sua defesa, mas ele mesmo não depositaria um centavo.

- Dilma avisaria que vai dizer uma coisa e que a coisa que ela tem pra dizer é que a coisa vai ficar muito séria, doa a quem doer, senão resolverem essa coisa do Jucá.

- A Época encontraria um cemitério clandestino de esqueletos de propinas e esquemas fraudulentos no porão do sítio do Jucá.

- O instituto Lula afirmaria que Lula não sabe de nada e não conhece Jucá. O PT abriria uma comissão de investigação e avisaria: se ele for mesmo culpado, ficará uma semana sem sobremesa.

- Os blogs sujos fariam montagens toscas com fotos do juiz Moro, do Aécio e diriam que isso é tudo um esquema do FHC junto com o Serra e a Chevron para roubar o pré-sal numa mala e fazer a felicidade da casa grande mantendo a senzala no analfabetismo.

- a militância do PT iria às ruas, picharia muros, incendiaria pneus, mas ninguém falaria do Jucá, porque todos pensariam que essa manifestação ainda era pela jornada de 5 horas semanais e salário mínimo de 10 mil.

- Dilma seria vista pedalando no entorno do Alvorada com duas emas correndo atrás dela com cara de irritadas. Ao avistar os repórteres ela gritaria "olha aí o cachorro atrás".

- Um novo escândalo seria denunciado e o país esqueceria do Jucá, que continuaria homiziado no ministério.

Mas como não estamos mais na era da mediocridade e o Jucá não é petista, ele não deu essa sorte.

Agora pode seguir aí latindo que é golpe.

Amor e propaganda

Uma cantora evangélica recomendou boicote às lojas C&A por causa de uma propaganda que mostra homens fantasiados de mulher e vice-versa, em mais uma dessas apologias forçadas à ideologia de gênero.
O ENEM já tinha dado o salve ano passado: depois do "casamento" de homem com homem e mulher com mulher, o progressismo de galinheiro pretende que homem se diga mulher só para casar com uma mulher que se diz homem, numa espécie de casal hétero depois da chuva ácida.
Se você não concordar com pessoas usando banheiros públicos de acordo com o sexo "ao qual se identificam", você é uma pessoa ruim que precisa estudar. Se a idéia de sua filha de 13 anos se deparar com um marmanjo no banheiro feminino te incomoda, você precisa de "mais amor, por favor".
Me deixe ser bem claro antes de continuar: não afirmo que ser gay é uma opção. Certamente fatores genéticos e psicológicos estão envolvidos, mas isso pouco me importa. Falar "contra gays" é como falar contra a chuva ou as estações ou as marés: inútil e ridículo.
Não tenho nada a ver com o que a pessoa faz na sua vida particular, até o momento em que ela resolve trazer sua vida particular para encher o saco da minha.
Gays são cidadãos como quaisquer outros. Merecem direitos, garantias, tudo o que qualquer outro cidadão tem direito - e também as obrigações - porque em nada diferem dos demais.
Se você não gosta, deve obrigatoriamente tolerar. E ainda que você tolere à força, também deve acima de tudo respeitar.
Mas alardear?
Porque o que acontece hoje em dia não é uma educação que vise a tolerância e o devido respeito, mas propaganda de um estilo de vida.
Beijo gay na novela, cantora de axé ressuscitando a carreira depois de "sair do armário" e "casar", deputado da bancada do cu-spe defendendo cartilha gay para crianças em idade pré-escolar, massificação de termos, trejeitos, comportamentos característicos de uma sub-cultura.
O que se faz hoje em dia é transformar o homossexualismo em produto a ser oferecido, cobiçado, vendido e comprado.
Outro dia vi duas meninas de colégio se tratando por "viado" no metrô. Duas mocinhas conversando e a cada dois segundos dizendo coisas como "olha isso viado", "viado, nem te conto", etc. Duas meninas. Meninas.
Isso não é normal e pode estrebuchar aí se quiser. Isso é, sim, fruto de uma política sistemática de enfiar um estilo de vida pela goela da sociedade abaixo não como algo que deve ser respeitado - que é o desejável - mas como algo que deve ser perseguido, buscado, admirado sobre todo o resto.
E isso sim, e não os gays, é que é uma aberração, e não tem nada a ver com amor.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Ainda sobre o chororô por causa do fim do clubinho de artistas companheiros que se chamava MinC

Os caras não sentem nem vergonha de gastar MILHÕES com filmes sobre pobreza enquanto os pobres de verdade MORREM DE FOME, DOENÇA ou DESLEIXO por falta de verba.

Vão tarrafear um bagre, suas cracas do dinheiro dos outros.

O charme, a elegância e o "grelo duro"


Falei outro dia da miséria mental a qual o petismo condenou o Brasil e hoje já preciso me repetir: que miséria, que miséria, meu amigos.

Essa mentalidade boçal de ouvir uma piada e, ao invés de procurar a graça, procurar o ofendido virou esporte nacional da parte do país que se revolta pela extinção de um ministério que nos deu maravilhas como a peça "macaquinhos" e a turma do Capilé.

Por isso mesmo as "mulheres" - não são todas, mas ainda assim falam como se representassem cada uma delas - se revoltaram quando um colunista social de Brasília disse que a primeira-dama, Marcela Temer, representaria "o charme e a elegância da mulher brasileira" no governo.

Talvez o colunista estivesse ironizando as críticas que o presidente recebeu por não adotar cotas de sexo ou melanina para nomear ministros, ficando o primeiro escalão sem mulheres, talvez falasse sério, não importa, se ainda vivemos numa democracia dizer que alguém representa "o charme e a elegância da mulher brasileira" não deveria ser nada mais do que é: uma opinião.

Mas como nada é tão simples, petistas e seus apaniguados que passaram 13 anos dizendo que o Brasil virou a Suécia e que agora se dedicam a criticar o número de calcinhas ou turbantes no ministério, a nova logomarca do governo ou até o filho de 7 anos do presidente, entraram em desarranjo mental e se ofenderam porque tais palavras "diminuiriam" a "mulher" brasileira.

Jornalistas do próprio veículo afirmaram terem "sentindo na carne" a dor de tamanha ofensa e, suspenso do jornal, o colunista foi obrigado a postar um vídeo no YouTube se desculpando entre lágrimas e auto-flagelações morais.

Não preciso dizer o quanto isso é ridículo, tacanho, boçal ou típico dessa era da mediocridade que levará décadas para dissipar toda a carga de coliformes mentais que polui o ambiente, basta apenas que dê um singelo exemplo:

Todas essas feministas, esquerdopatas e justiceiros sociais que acharam imperdoável e "digno de vômito" dizer que a primeira-dama representa "o charme e elegância da mulher brasileira", não só aceitaram de bom grado como - em suprema prova de escravidão e submissão mental a um analfabeto corrupto - passaram a se auto-denominar e se referir aos outros como mulheres de "grelo duro".

É ou não é um cenário de miséria mental?

segunda-feira, 16 de maio de 2016

O Papa e o Pepe


A miséria mental a que o petismo condenou o Brasil pode ser facilmente identificada observando os "formadores de opinião" que têm espaço no país.

Não dá para levantar das quatro patas e assumir postura ereta enquanto um Gregório Duvivier, PC Siqueira, Marcelo D2 ou Tico Santa Cruz são convidados a opinar sobre a política e os destinos do país e, pior, existir gente que os ouça.

É óbvio que cada um deles tem todo o direito de expor sua visão, assim como o bebum que fala mal do prefeito jogando totó (pebolim) no boteco ou o aposentado da fila do Itaú, o problema é darem mais atenção a estas sub-celebridades do que dão ao bebum e ao tiozinho.

Nunca entendi essa fixação brasileira pela opinião de artistas sobre assuntos que não têm a ver com a área deles. Me interessa tanto o que atores de novela ou cantores de MPB têm para dizer sobre a política quanto a "arte" que eles produzem.

Mas viajei só para chegar no assunto de verdade desse texto: a Letícia Sabatella.

Desde que ela fez a Taís - namorada do "Sanhaço" ou "Beija-Flor", não lembro o nome do pássaro - nunca mais tinha ouvido falar dela. Coincidiu com a minha ida para a universidade e o desinteresse por novelas ruins.

Mas ela continuou por aí e nesse ocaso do PT virou uma espécie de "mediadora" da opinião política nacional. De repente comecei a receber compartilhamentos no Facebook de gente muito impressionada com o que a Letícia Sabatella disse sobre o "golpe", a "legitimidade do novo governo" ou "a imagem do Brasil no exterior".

Falando em exterior, a musa dos mortadelas foi até o Vaticano incomodar o Papa com esse papo de "golpe". 

Como muito bem me disseram no Twitter, depois de todos os recursos e chicanas imagináveis a turma da chupeta foi literalmente se queixar ao Bispo. De Roma.

Mas o mais curioso foi ver o pessoal que berra que "o estado é laico" e que se ofende com Crucifixos em prédios públicos ir logo na Sede da Igreja que eles mesmos chamam de "atrasada" pedir ajuda.

Essa esquerda amalucada brasileira agora deu pra achar que o Papa Francisco é o Pepe Mujica. 

Estão tão certos quanto a isso como quando avaliam a sua real importância, a qualidade do que dizem ou seu verdadeiro talento.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

A história se escrevendo em nós


Em 1992 eu estava na Cinelândia acompanhando uma das manifestações pelo impeachment do presidente Collor, que estavam bem no início e não reuniam mais de algumas centenas de pessoas.
Fui lá nem tanto por convicção, mas para matar aula e ver as meninas, quando uma loirinha que eu estava olhando pegou duas latas de tinta guache que usava para pintar o rosto das pessoas, colocou os dedos na tinta verde e amarela e pintou a lente de uma câmera de TV que cobria o evento.
Essa imagem depois foi parar no Jornal Nacional e em vários clipes que mostravam os acontecimentos daquele ano.
Conto isso porque a história vai acontecendo na nossa frente sem nos darmos conta. Eu ali, vendo algo que pessoas que nasceram depois daquilo só vão conhecer de ler nos livros, sem nem me dar conta.
Enfim, digo isso e já preciso voltar ao agora ex-presidente e senador Collor, que fez hoje durante os debates da votação do impeachment de Dilma Rousseff um discurso que já pode ser considerado histórico.
Mostrando como o PT nada aprendeu e de nada se arrepende, Collor provou que teve um julgamento sumário, pagando sua defesa do próprio bolso e não usando a AGU para isso, enquanto Dilma arrasta o país para o abismo junto com ela em meses de procrastinações, chicanas e recursos.
Eu tinha acabado de sair do banho, já estava de saco cheio de tanta discurseira e me preparava para desligar a TV senado quando o presidente Renan Calheiros concedeu a palavra ao senador Collor.
E do mesmo jeito que ocorrera naquele dia na Cinelândia há quase 24 anos, a história aconteceu na minha frente. Na mesma hora escrevi um texto falando sobre a vantagem que saber se comunicar na língua portuguesa e ter algum pensamento lógico representa para um político, ainda mais na política do Brasil, essa floresta de pau seco.
Logo veio gente me interpelar achando um absurdo elogiar o Collor. Ora, bolas, prestem bem atenção. Não falo da conduta pessoal ou ética dele, falo do fato inapelável de que Fernando Collor deu uma aula de história, política e oratória hoje.
É o que falta naquele parlamento: gente que saiba se comunicar, defender idéias sem berrar ou cuspir e que saiba propor soluções. Política é pra ser a atividade MAIS NOBRE de um país, é coisa de ELITE, de gente PREPARADA, não dá para sair da boçalidade com deputados e senadores falando "impíxima", "gópi", "excrusive", "rezistro".
E não digo com isso que prefiro "corruptos que falem bonito" do que "gente honesta que fala como o povo", caso contrário o Lula, um ágrafo tatibitate orgulhoso da própria ignorância, seria o homem mais honesto do país.
Discordo do Collor? Sim, em 80% ou 90% dos assuntos. Votaria nele? Não. Continuo dizendo que ele fez o melhor discurso de todos em todo esse processo de impeachment de Dilma Rousseff? Sim, com toda a certeza.
É essa boçalidade que o PT enfiou pela goela do país abaixo, de que se alguém é adversário ou se discorda de nós não podemos reconhecer mérito algum, que nos trouxe até esse cenário desolador.
Assim que nos livrarmos do PT precisamos nos livrar disso também.
Chega.

O nível dos políticos brasileiros

Goste-se ou não do ex-presidente Fernando Collor, mas ele fez o melhor discurso de todos, tanto na câmara quanto no senado, em todo esse processo de impeachment.
Procurem amanhã no YouTube que já deve ter.
Sem contar que o Collor, ao contrário da esmagadora maioria dos parlamentares das duas casas, consegue se comunicar na língua portuguesa.
Isso só prova uma coisa: Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Michel Temer, entre outros, não sobressaem naquelas casas do espanto por serem gênios da raça, ainda que sejam pessoas capazes intelectualmente, mas porque dominam coisas como o idioma, a lógica, a etiqueta e algum conhecimento teórico.
No meio de bestas quadradas e cafajestes famélicos por dinheiro, não é preciso muito mais do que isso.

O dia do "tchau querida" lá no Twitter


- 54 milhões de malandros e otários. Aos primeiros, o justo castigo, aos segundos, a lição: não nos obriguem mais a consertar suas cagadas.
- Comemorem, mas guardem alguns fogos para o dia em que o Lula for preso, beleza?
- Hoje lá de cima o Sandro Vaia e o Coturno Noturno vão sorrir enquanto saboreiam um churrasco e um uísque 12 anos.
- Senadores da oposição: não interessa o que vocês tenham a dizer hoje a não ser o "sim", por isso sejam breves, brevíssimos nos discursos.
- 13 anos aturando esses ordinários, podem chamar de golpe, assassinato de John Snow, queda de Gandalf, tô pouco ligando, eu quero é rir.
- Chico Buarque é gênio, mas na playlist só tem Tati Quebra-Barraco, Catra, Racionais e sertanejo universitário.
- O Rouanet e o comissionado choram desde ontem, mas dizem que foi cisco ou a fumaça da maconha.
- Quer matar sua família? Faz que nem a Suzane Von Richthofen e cumpra sua pena depois, não precisa entrar pro PSOL e fazer isso lentamente.
- É só um começo, a vitória final é só com Lula preso e o PT tendo seu registro cassado.
- Cadê o "carnacoxinha" agora, seus palhaços? Caiu ou não caiu?
- Trump presidente, Dilma caindo, Macri na Argentina, Maduro sendo chutado na Venezuela, o índio maluco perdendo referendo na Bolívia.
- Parece que o jogo virou, não é mesmo?
- Tradução da fala do Jorge Viana: roubamos sim, roubamos pra caralho, mas os outros também roubaram, por isso merecemos continuar roubando.
- E a Marcela Temer já chegou em Brasília - bela, recatada e do lar - para tirar aquela morrinha de mocréia do palácio.
- Quero ver é a Vanessa Grazziotin sem todos esses produtos de beleza capitalistas pra alisar as madeixas e passar massa corrida na cara.
- Venho dizendo isso desde o início. Só se livrar desse "presidenta" já justifica o "golpe".

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Precisamos de normalidade


Sim, algo simples e que é impossível de se conseguir num país que vive há 13 anos em ritmo de campanha eleitoral. Acho o Temer uma maravilha? Não, tanto que não votei nele, quem votou foram os petistas, mas na atual conjuntura, pra qualquer coisa que remova as hordas de vagabundos fazendo comício no palácio presidencial e que se assemelhe a um governo funcional eu já estou dando match no Tinder político.
Um país não pode ser minimamente civilizado e menos boçal se for governado por gente que só tem um único plano: roubar tudo o que pode enquanto não larga o osso.

Não é normal o protagonismo que bandos de delinquentes e parasitas como o MST, a CUT, o MTST ou a UNE têm no Brasil.
Não é normal um governo tomar medidas preocupado não com as próximas gerações ou com os próximos cinco ou dez anos, mas com a próxima propaganda eleitoral mentirosa que vai jogar na TV para enganar otários e fornecer material para seus militantes parasitas espalharem por aí.
Não dá para pensar em futuro quando mais de 20 mil gafanhotos em cargos comissionados acordam e vão dormir pensando em se esmerar para ser obreiro dedicado do partido e manter assim o país sob sequestro e garantir suas boquinhas.
Essa esculhambação de encher de militantes presidências de estatais, diretorias, tribunais, de se afrontar ritos e leis e instituições sempre dependendo de quem vai lucrar com isso, essa relativização da porcaria como forma de ser e agir não pode dar em boa coisa.
Neste 9 de maio de 2016 quase um mês já se passou desde que a câmara aprovou a admissibilidade do impeachment e cá estamos nós ainda discutindo se Dilma Rousseff vai ou não desinfetar da presidência.
Como bem lembrou um cara que eu vi no Twitter, essa masturbação regimental com idas e vindas e reviravoltas dignas de Game of Thrones é exatamente o que enfrenta todo dia quem deseja empreender no Brasil.
Enquanto o MST que não tem nem CNPJ recebe baciadas de dinheiro do pagador de impostos, um pequeno empresário precisa fornecer até o exame de fezes da sua bisavó para conseguir um alvará ou um habite-se.
E assim o país vai afundando enquanto nada de útil se faz e apenas passamos os dias e as semanas e os meses e os anos discutindo o PT, essa praga que parece o Jason do Sexta-Feira 13 e não some.
E a economia cada dia pior com empregos sumindo, qualidade de vida despencando e negócios fechando.
Como um restaurante em Copacabana que existia desde 1957 e suportou, vejam vocês, a eleição e a renúncia do Jânio Quadros, o parlamentarismo relâmpago, o governo-baderna de João Goulart, o regime militar, as políticas econômicas do Delfim Netto, a morte de Tancredo, um governo Sarney inteiro, o Collor, um impeachment, o início caótico do governo Itamar, crise na Rússia, crise na Ásia, o escambau.
Mas não conseguiu resistir ao PT.
Até quando este país vai resistir?

sexta-feira, 6 de maio de 2016

O ex-PDT

Esse PDT de hoje, do Carlos Lupi, um pelego sem voto e malandro oportunista, tem tanto a ver com o Brizola - que não prestava, mas por outros motivos - quanto o pé de cabra tem a ver com a porta.
Observem pelo tal Telmário Mota, que mais parece um motorista de van ilegal que foi preso e como pena alternativa foi servir um tempo no senado.
Ou ainda o Ciro Gomes, que não passa de um Sibá Machado com pretensões presidenciais.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Um rio de cocô

Na foto do biólogo Mário Moscatelli, vemos a merda que sai da ilha da Gigóia, do Itanhangá, da Península e dos prédios, casas, shoppings e condomínios da Barra da Tijuca invadindo o mar e sendo levadas pelo vento para as praias de São Conrado, Leblon, para a Ipanema do aplauso ao pôr-do-sol e para o Arpoador, fazendo com que o banho na cidade maravilhosa seja um tratamento de pele em fezes humanas e demais produtos do esgoto sanitário.
O Leblon já apareceu cheio de gigogas, plantas que proliferam no esgoto e na matéria fecal.
O problema é que do nível do chão não dá pra ver isso, só do alto, e assim moradores e turistas vão lá curtir uma praia na "cidade mais linda do mundo", sem saber que estão sorrindo para suas selfies com um cagalhão diluído entre os dentes.
O Rio é um golpe de marketing, um estelionato turístico, um crime ambiental de proporções gigantescas e uma péssima cidade para se viver, trabalhar e até se divertir, a menos que você goste de boiar em cocô.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

A tia ficou doida


O advogado Geraldo Lima Filho fez uma representação na procuradoria geral da República pedindo a interdição de Dilma Rousseff devido à mesma estar "mentalmente enferma".

Pode rir, eu também achei graça, mas será que é algo assim tão fora da realidade?

Vejamos: o advogado argumenta que Dilma não está "no pleno gozo de suas faculdades mentais" por planejar um indulto a 38 mil presidiárias no próximo domingo, Dia das Mães.

Convenhamos, não é algo digno de quem está no seu juízo perfeito, mas poderíamos creditar isso à um amolecimento do "coração valente", o problema é que não para por aí.

Recentemente notícias deram conta da presidente estar vivendo sob efeito de remédios. Uma lista de compras da presidência reservou 3,6 mil reais para a compra de, entre outros, 100 ampolas de midazolam (sedação e insônia) e 120 comprimidos de quetiapina (anti-psicótico). Quem estaria se alimentando de comprimidos que poderiam dopar um paquiderme desse jeito?

Mas tem mais. O palácio do planalto há algumas semanas deixou de ser um palácio presidencial e virou uma sede de DCE ou um cafofo dos delinquentes do MST ou um mocó dos vagabundos do MTST ou um muquifo de pelegos ou o nome que você quiser dar para um local que virou ponto de reunião de claques a soldo que berram ameaçando o país com desordem, "guerra civil" e até "derramamento de sangue".

E quem dera fosse só isso. Seus últimos atos administrativos - quando não está se dedicando a berrar contra um golpe que só existe na sua cabeça e de seus áulicos - são verdadeiras bombas destinadas a quebrar mais o país e a infernizar a vida dos cidadãos.

A "rainha louca" está se vingando dos "súditos" que a desprezam.

Dia desses até se cogitou que Dilma se acorrentaria no gabinete para dali ser retirada à força e gerar imagens que rodariam o mundo, chocando as pessoas.

Fora tudo isso, observe quem ainda a cerca e a apóia. Guilherme Boulos, João Pedro Stédile, Vagner Freitas, Carina Vitral, Sílvio Costa, Ciro Gomes, enfim, líderes de movimentos que vivem de sugar os cofres públicos para serem braços armados do PT e políticos sem expressão ou postura equilibrada, uma verdadeira orquestra do Titanic.

Dito isto, preciso confessar que achei até que demorou muito para que alguém formalizasse sua preocupação com a saúde mental de Dilma Rousseff.

Sim, ela mentiu, caluniou, difamou e cometeu estelionato eleitoral em 2014, mas parece que a cabeça que não consegue terminar uma frase concatenada se perdeu no próprio cipoal.

Se ela está mesmo desequilibrada ou não, ninguém além de um médico que a atenda pode saber, mas sorte que falta menos do que faltava para que essa personagem medíocre retorne para o ostracismo e vire uma nota de rodapé na lata do lixo da história.



terça-feira, 3 de maio de 2016

Game of White House


Toda essa confusão e desarranjo político no Brasil está me impedindo de acompanhar como normalmente faço aquela que é uma das minhas maiores diversões desde que era um pré-adolescente e assisti Ronald Reagan surrar Walter Mondale vencendo em todos os estados menos um a eleição para presidente dos Estados Unidos de 1984.
Posso dizer que todo meu interesse por política surgiu a partir de dois eventos: as eleições americanas e o golpe militar de 1964 no Brasil e tudo o que veio depois dele.

Só que com Dilma, Lula, Temer, crise, mortadelas, etc., fica difícil se concentrar em qualquer outra coisa que não na luta para livrar o Brasil dos gafanhotos petistas.
Hoje, porém, um evento me obriga a dividir com vocês esse meu interesse: depois de ser derrotado em Indiana, o senador Ted Cruz suspendeu sua campanha e deixou o magnata Donald Trump sozinho contra o governador de Ohio, John Kasich, na disputa, o que é o mesmo que dizer que Trump será o candidato republicano para a sucessão de Barack Obama.
Há quase um ano, quando iniciou sua caminhada em busca da indicação republicana, 10 entre 10 analistas tratavam Trump como uma piada de mau gosto, como alguém querendo atenção para, quem sabe, estrelar algum novo reality show na TV.
O fato é que mesmo dizendo algumas coisas meio chocantes - expulsar milhões de pessoas do país ou banir a entrada de todos os muçulmanos, por exemplo - e tendo altos índices de rejeição, Trump foi vencendo barreiras e hoje tem 99,9% de chance de representar o partido neste ano.
Seus índices de rejeição mencionados acima representariam uma certeza de derrota na eleição geral, mas como todo vencedor precisa de um pouco de sorte, sua adversária será, salvo um desastre, Hillary Clinton, alguém tão controversa e rejeitada quanto ele.
Tanto isso é verdade que sua liderança frente ao milionário novaiorquino vem caindo há algumas semanas e hoje uma pesquisa do instituto Rasmussen já o mostrou na frente da democrata.
O que vai acontecer de fato não tenho como nem imaginar. Esta é uma eleição que já desafiou todas as convenções e continuará assim, mas comprem pipoca e guaraná, porque nem Game of Thrones será tão emocionante.
Apertem os cintos, porque uma briga de foice num galinheiro de luz apagada não seria tão feia.
P.S.: Entre os dois, votaria no Trump, claro.