sexta-feira, 27 de maio de 2016

O grelo duro e a "cultura do estupro"


O absurdo estupro coletivo de uma menina divulgado por um facínora na internet me dá oportunidade de falar logo de dois assuntos, mas que na verdade são um só.

Faço essa afirmação arranhando no dilmês e já me explico: não mais que de repente o que era sobre um crime cometido por bandidos contra uma garota virou um duelo de textão nauseante num desfile de canalhice da esquerda.

O princípio é basicamente o mesmo, ou seja, dane-se a vítima, dane-se o crime, dane-se a justa e necessária reação da sociedade sobre o caso.

Vamos aproveitar a brecha para fazer demagogia esquerdopata e cafajestagem femidoida, chamar homens de estupradores em potencial e projetar o crime em nossos inimigos políticos, justamente aqueles contra quem nos insurgimos para defender as "vítimas da sociedade".

E assim as aves de rapina e as varejeiras do desastre humano entraram em polvorosa, acusando TODO homem de ser um "estuprador em potencial", jogando a fatura da desventura da moça nos "fãs do Bolsonaro" e na "sociedade patriarcal" que promove uma tal "cultura do estupro".

Sub-celebridades, bozos de YouTube, deputados do baixíssimo clero que só tem visibilidade porque são de partidos tratados pela imprensa como um misto de reserva e zoológico do comunismo, feministas de galinheiro, capados mentais e demais abusados intelectualmente pelo esquerdismo de tampa de ralo, toda essa gente que diz que funk é cultura, apóia aula de sexo para crianças e tem peninha de marginal "vítima da sociedade".

Logo eles, vindo ME chamar de estuprador em potencial? Logo eu que defendo pena de morte ou pelo menos castração química obrigatória para esse tipo repulsivo?

Logo eu que defendo que o cidadão de bem - e pode espernear se você detesta o termo, porque o contrário é o cidadão do mal - possa ter porte de armas para defender sua família? Logo eu que não acho favela uma "beleza da natureza humana mais simples" e nem relativizo crime ou esculhambação social? Não mesmo.

Esquerdismo é uma droga que prejudica mentes em geral, mas que em homens especialmente estraga as duas cabeças: castra a de baixo, transformando o sujeito num projeto mal acabado de macho beta com vontade de ser uma obesa com sidecut e cabelo no sovaco e a de cima, fazendo com que vire um imbecil que realmente acha que existe um estuprador adormecido dentro de si.

Fale por você. Aceite você esse tipo de acusação vindo de gente que se diz tão esclarecida, avançada, à frente dos demais, mas que vive num estado de servidão mental tamanho que se sujeita a aceitar qualquer coisa que venha da esquerda.

Até mesmo que um bronco analfabeto as chame de "grelo duro" e transformem isso em elogio, bandeira e até auto-identificação.
0 Comentários