segunda-feira, 6 de junho de 2016

A culpa é dos outros

A culpa pela "cultura do estupro" é do pai de família que está quieto em casa cuidando da vida, é da dona de casa que optou por ser "oprimida", é dos filmes, é das piadas, é do Danilo Gentilli, é do governo Temer, dos coxinhas, da elite branca, da burguesia, da educação tradicional, das pessoas que frequentam igrejas, das propagandas de cerveja, de quem assiste vídeo pornô, de homem que gosta de mulher, do "fiu-fiu", da Gillette, do patriarcado, do capitalismo, da polícia, da mídia golpista, etc.
A culpa pela "cultura do estupro" não é de quem afirma que "toda mulher é vadia", faz monografia sobre a Valesca Popozuda, diz que funks que tratam mulheres como vadias, cachorras e periguetes é cultura, bagunça a cabeça de crianças ensinando que não existem sexos, que família é construção da sociedade opressora, que se drogar é lindo, que sair por aí com os peitos de fora é um posicionamento político respeitável, que escola não é para aprender e ensinar coisas mas para "desconstruir valores", que relativiza crimes e defende criminosos e corruptos, que impede o cidadão de bem de se armar e se defender, que justifica tudo como problema social, que relativiza até valores básicos como o certo e o errado.
Ou seja, a culpa da tal "cultura do estupro" é das pessoas não fazem nada para promovê-la, pelo contrário, que são atacadas diariamente por valores que levam justamente à ela, isso praticado ironicamente pelas pessoas que as acusam disso.
Parece psicótico. E é.
0 Comentários