segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Cunha não teve um PT do seu lado

Não vi protesto de rua a favor do Cunha. Não vi gente berrando que desrespeitaram os 232.708 votos que ele teve. Não teve um "classe média" me perguntando "se tirar o Cunha vai botar quem?".
Não rolou coxinha bloc na rua incendiando lixo pra defender o cara "perseguido por ajudar o povo". Não escreveram textão de Facebook fazendo cartinha pro Cunha em tom emocionado, dizendo "como ele era importante para o projeto" e desejando força nessa luta contra os fascistas.
Não vi ninguém colocando twibbon na foto de perfil dizendo que "não reconhece presidente da câmara golpista" ou "fica, querido" ou ainda pedindo uma nova eleição para todo o congresso só porque um dos preferidos foi pego com a boca na botija e cassado.
Não teve bancada da chupeta dando show na TV, protesto em universidade e nem gritinho de "guerreiro do povo brasileiro".
Aposto que na saída de seu apartamento funcional, ninguém vai nem aparecer para dar flores pra ele.
Mas isso é porque o Cunha não é petista, claro. Nem defendeu a todo custo os interesses do PT nessa época de decadência do partido, ainda que tenha sido seu aliado até mais ou menos o final de 2014.
Se ele soubesse que o PT não abandona os seus, principalmente se os seus fizerem correria no cofre alheio, talvez nem teria aceitado aquele pedido de impeachment.
Mas aceitou. E caiu. Junto com Dilma (essa é a parte boa).
0 Comentários