sábado, 24 de setembro de 2016

Golpe, que seja


Vieram perguntar se eu não me incomodava em apoiar um "golpe de estado". Primeiro tenho que dizer que não é questão de opinião, mas um fato inapelável: não houve golpe algum no Brasil. Somente cavalgaduras e farsantes seguem repetindo tal palhaçada.
Mas digamos que, pelo bem do argumento, tenha mesmo havido um "golpe parlamentar" ou "golpe brando" no Brasil. Teria eu algum problema em apoiá-lo?
Digo que não. Nenhum problema.

E já explico o porquê: só do novo governo ter acabado com a farra dos jatinhos oficiais que o "partido do povo" promovia e colocado a FAB à disposição, por exemplo, do transplante de órgãos, ato que mudou e salvou a vida de centenas de pessoas em apenas alguns meses, já justificaria um golpe até mais explícito do que esse que os petistas inventaram para se limpar da própria lama.
Pena foi não terem dado esse "golpe" antes.
0 Comentários