quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Chega de apanhar

Aquele rapaz que tem um canal de YouTube chamado "Mamãe Falei" - incrivelmente ótimo, só para variar, no meio da quantidade de lixo do YouTube - presta um serviço social importantíssimo ao desmascarar a confusão mental da esquerda.
Seus vídeos são diversão garantida, com um desfile de gente que odeia o estado fascista mas pede mais estado, que luta contra o machismo mas chama a Marcela Temer de vagabunda, que é contra homofobia mas diz que o Feliciano é viado enrustido, que pede mais amor por favor mas desce o cacete (sempre em grupo, é claro, porque sozinhos tem a coragem do Salsicha e do Scooby quando encontram um fantasma) em quem ousa pensar diferente.
Acredito que ele faça aquilo por diversão, já que quando não está roubando o que é dos outros ou suprimindo liberdades a esquerda é mesmo divertida, e também acredito que ele o faça por ideologia, bancando suas despesas.
Isso não me impede de achar que ele esteja investindo em alguma carreira ou em algo que possa render algo, mas qual é o problema? Seria dinheiro honesto.
Só que - e aí preciso culpar a vítima só um pouco - é muita ingenuidade dele achar que flanaria pelo país expondo todo o ridículo de uma récua de gente com atrofia mental e nada demais aconteceria.
Esquerdistas possuem três modos padrão de debate: negação, ridicularização e agressão. Primeiro te ignoram, depois tentam te desqualificar e depois partem para a porrada (sempre em grupo, friso).
Como o "Mamãe Falei" atinge um número expressivo de pessoas e faz aquilo que existe de melhor para ridicularizar um esquerdista, que é deixá-lo falar à vontade, sobrou o último recurso, que foi usado contra o rapaz em Curitiba.
Bandidos o cercaram, aplicaram uma gravata, furtaram seus equipamentos e arrumaram umas delinquentes para acusá-lo de tentativa de estupro, mesmo com todo o ocorrido se desenrolando em público e na frente de câmeras de vídeo. Elas desistiram da acusação fajuta depois, mas o rapaz perdeu o dia resolvendo a questão.
O uso de acusações de assédio e estupro por parte de delinquentes mal-intencionadas precisa ser tratado rapidamente, sob pena das verdadeiras vítimas desses crimes serem engolfadas no charco de cafajestagem que cerca essas falsas comunicações de crime.
E o recurso pela esquerda da agressão como forma de suprimir divergências incômodas - são fartos, também, os casos de aulas interrompidas, pessoas expulsas de eventos, debates interditados na gritaria, etc - precisa ser combatido de forma decidida.
A primeira coisa é matar a agressão no nascedouro. Que se recorra aos tribunais e se processe qualquer um que fizer acusações de fascismo, nazismo, etc., contra opositores. Essa gente precisa entender na marra que este tipo de coisa tem consequência.
E a segunda coisa é parar com essa narrativa de apanhar para mostrar como eles são truculentos depois. Não funciona. Eles têm orgulho da própria truculência. Andem em grupo também, façam esses vídeos protegidos por seguranças. Protejam-se.
Defendam-se, fisicamente, se for preciso, mas continuem com o trabalho de livrar o Brasil desse peso morto que o puxa sempre de volta para o atraso que é a esquerda farofeira.
É hora de dizer chega.
0 Comentários