terça-feira, 1 de novembro de 2016

O país e sua juventude sequestrada


Hoje um juiz de Brasília ordenou que a polícia militar cortasse a luz, água, gás e proibisse a entrada de alimentos e demais mantimentos nas escolas ocupadas por estudantes no Distrito Federal.
Logo sites a serviço do PT - o partido que insufla essa desordem através de seus braços sindicais - acusou a medida de "tortura". Convenhamos, tortura para esses playboys seria cortar o sinal do celular e o Wi-Fi.
Mas esse nem é o absurdo, o absurdo mesmo começa quando chamamos de "ocupações" o que na verdade são invasões. Esse pessoal - uma minoria estridente, como sempre - que está ali atrapalhando os outros pouco se lixa para a educação, seu negócio é a "revolução" que os doutrinadores botaram nas suas cabeças.
Para acabar com essas invasões bastaria colocar professores nas salas dando conteúdo relevante. Em coisa de cinco minutos eles sairiam correndo dali.
Piadas à parte - e isso tudo é uma grande piada de mau gosto - essa situação só chegou neste ponto por culpa da reação dos governos e da sociedade ainda em 2015, quando a palhaçada começou nas escolas de São Paulo.
Ao invés de reportagens, entrevistas e até a Paola Carosella cozinhando para os invasores, o que deveria ter acontecido eram mandados de reintegração de posse, presença da polícia e responsabilização dos pais de todos os menores que estavam ali servindo de massa de manobra.
E se você ainda acha um absurdo usar a polícia para retomar um patrimônio público turbado e garantir o direito da maioria, te respondo uma coisa: absurdo é a sociedade continuar assistindo passivamente o PT sequestrar o país e sua juventude só para não ter o fim que merece, o fim que buscou para si.
0 Comentários