segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

A estratégia perdedora da esquerda

Quem sou eu para dar conselho pra esquerdista e principalmente feminista - elas não precisam de nada vindo de "omi" - ainda mais porque quero mais é que sigam nesse caminho maneiro que elas estão, mas pensa comigo: como fazer uma posição prosperar na sociedade?

Um jeito é pela força. Outro jeito é pelo convencimento.

Não imagino gente que corre de bomba de efeito moral fazendo nada pela força, então vamos analisar o caminho do convencimento.

Quem deseja chamar os outros para si, angariar apoio, simpatia e adesões age como? Dialogando, ouvindo, respeitando, cedendo, mudando de rumo e encaixando um discurso que aglutine, ou berrando, xingando, ofendendo, mandando os outros calarem a boca?

- Você não pode falar disso, você não é mulher.
- Você tem que calar a boca, você é branca.
-  Isso não te diz respeito, fique quieto e aceite.
- Não está conosco? Vamos nos juntar, atacar e destruir a pessoa.

Não me parece uma estratégia muito boa, tanto que nem entre mulheres o femidoidismo de DCE é maioria.

Essa postura raivosa, surda ao mundo que a cerca, que constrói bolhas que só são habitadas por quem pensa exatamente igual é que gera surpresas como "não sei por que meu candidato perdeu, todo mundo que eu conheço votou nele".

Mas o mais curioso é como insistem no erro. Intolerantes, cagadores de regra, patrulheiros da vida alheia, sem o menor senso de humor ou nuance, essa gente está perdendo a briga até para a turma da "zueira" na internet.

Com bom humor, sátira, deboche e métodos que ganham simpatia, gente que a esquerda chama de "burros, bolsominions, ignorantes, machistas, fascistas, etc." dá uma surra de comunicação.

Já ajudaram a eleger um presidente dos Estados Unidos e podem muito bem repetir o feito por aqui. E a esquerda, viciada em ideologias e práticas de 50, 100 anos atrás, segue cometendo os velhos erros, a ponto de a impressão que fica é que a esquerda só tem mesmo erros para cometer.

Mas como disse no início, quem sou eu para dar conselhos. Quero mais é que percam uma atrás da outra mesmo.
0 Comentários