quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O eleitor de castigo

A moda na Baixada Fluminense (e não tenho por que duvidar que tambem seja no resto do país) são prefeitos que perderam a reeleição ou não conseguiram eleger seu sucessor abandonando completamente as suas cidades.

Coleta de lixo, manutenção do calçamento, pagamento de funcionários, fornecimento de material para escolas, postos de saúde e hospitais, tudo suspenso e o cidadão largado à própria sorte.

Alguns desses alcaides não aparecem para trabalhar há dois meses, mais ou menos o tempo que levou da eleição até agora.

Não tem retrato melhor da mentalidade política brasileira do que esse. Suas excelências assaltam o cidadão em impostos e taxas, usufruem desse dinheiro dos outros como uma verdadeira corte de Maria Antonieta e acham que fazem um grande favor quando se dispõem a prestar algum serviço mal e porcamente.

Dessa forma cortam o "favor" quando o eleitorado "não se comporta" direito.

Nunca mais poder exercer qualquer cargo público, eletivo ou não, pelo resto da vida é o mínimo que poderia acontecer com essa gente.

Mas conhecendo a já citada mentalidade política brasileira, que também, infelizmente, pertence ao eleitor, é capaz dessa gente voltar como deputado na próxima eleição.

Pobre país sem vergonha e sem esperança.

0 Comentários