segunda-feira, 6 de março de 2017

Lula candidato e o goleiro Bruno na seleção

2018 será mais ou menos assim: se Lula for mesmo candidato, ganhando ou perdendo, o país será derrotado.
Imaginem um debate e o Doria, por exemplo, aparentemente o único candidato viável do PSDB até lá, abrindo a sessão de perguntas assim:
- Candidato Lula, pra começar o senhor deveria estar preso e...
Entende o drama? É o país que vai para a cadeia no lugar dele.
Seus devotos (já virou caso de não serem mais nem seguidores) espalham por aí que como não apareceu uma gravação dele autenticada pela CIA confessando suas gatunagens para uma comissão composta pelo Papa, o Rabino-Chefe de Israel e o Dalai Lama, então ele não é culpado.
Note que ninguém - nem os devotos - têm coragem de dizer "é inocente", apenas balbuciam coisas como "se o Moro pudesse mesmo já teria prendido".
A medida da inocência do sujeito deixou de ser a "viva alma mais honesta" para "ainda está solto". Por isso Lula não deve ser candidato. O Brasil é um país exótico, longínquo, atrasado, mas aí seria demais.
Ainda que sua rejeição sugira que o vexame seria lindo - e que ele perderia um segundo turno de lavada até para o vírus ebola - sua candidatura já seria inaceitável.
Seria convocar o goleiro Bruno para a seleção só porque não conseguiram achar o corpo da vítima até hoje.
0 Comentários