quinta-feira, 13 de abril de 2017

O país dos barnabés

O brasileiro está virando um funcionário público. Nada a ver com o sonho de milhões de concurseiros passarem o resto da vida sendo sustentados pelo pagador de impostos, mas no que diz respeito àquela postura de lixar as unhas ou jogar paciência no computador enquanto a fila da repartição vai aumentando.
O brasileiro perdeu o cuidado um com o outro. Pra dizer a verdade, nem todos, mas muitos.
Estava num supermercado e uma senhora cortou a mão com um pote de geléia que caiu e quebrou. Ela ali sangrando e sabe qual foi a primeira reação dos funcionários do local? Chamar o pessoal da limpeza para passar um pano no chão.
Nada de correria, kit de primeiros socorros, médicos se oferecendo. Não. Uma equipe de limpeza e a informação que "o gerente já foi chamado", como se fosse um caso de erro no preço de alguma mercadoria e não uma pessoa ali, sangrando no meio da loja.
Os demais também pouco fizeram além de olhar e comentar "ela está sangrando". A própria senhora catou um papel toalha, colocou em volta da mão e saiu dali para procurar ajuda, como quem diz "cada um com seus problemas, vou cuidar do meu".
Pensei em fazer escândalo, chamar a polícia, o escambau, mas desisti.
No fim seria atendido por mais algum outro funcionário público dessa imensa repartição de dimensões continentais.
0 Comentários