terça-feira, 2 de maio de 2017

Lula e as pesquisas

A pesquisa Datafolha é catastrófica? Não. Mas preocupa? Só quem não é negacionista não se preocuparia.
Um sujeito acusado do que é, delatado como foi e ainda está sendo, que não pode sair nas ruas e só está apto a falar para plateias amestradas ficar em primeiro lugar nas pesquisas presidenciais é um mau sinal.
Para começar jamais devemos subestimar a estupidez de uma larga parcela do eleitorado brasileiro. Lula, inclusive, conta com ela. É um pessoal que acha que o palestrante milionário é um "homem do povo" e que não associa aquele que considera - segundo a mesma pesquisa - o governo mais corrupto da história ao chefe desse mesmo governo.
A estupidez é o nosso terremoto.
De resto, é inexplicável que ainda esteja solto um homem que desacata autoridades, usa milícias a soldo para ameaçar a ordem pública, instrui - segundo delações - a destruição de provas e faz campanha eleitoral antecipada (e ilegal) para tentar usar a presidência do país como mocó para se esconder da cadeia.
Por muito menos já teriam mandado 90% do país para Alcatraz.
Dito isso, é claro que as forças anti-PT no país aparentemente são a maioria e irão se aglutinar numa eleição. Pesquisa, nesse momento, mostra mais quem é conhecido e organizado do que necessariamente quem vai chegar na frente daqui a mais de um ano. Muita coisa pode e vai mudar.
Mas é de bom alvitre que todos que não querem a volta do PT caiam na real já: no filme Sexta-Feira 13 trancam o vilão num cofre e jogam no fundo de um lago, mas ele consegue fugir.
Disputar uma eleição entregando a narrativa - o bem contra o mal - nas mãos do PT e suas linhas auxiliares equivale a entregar o segredo do cofre para o Jason.
Convém cair na real e soldar o cofre. Mesmo porque petista adora arrombar um.
0 Comentários