terça-feira, 9 de maio de 2017

O dia da marmota eleitoral

Desde a eleição de 1989 que é negado ao país decidir seu futuro, só o que há é a escolha entre fugir do Lula ou render-se ao Lula e seu bando.
Incrível como estamos em 2017 e o país segue sequestrado por um malandro que nunca pensou em outra coisa além da própria vida mansa e de acumular poder.
Não falamos em reformas, em avanços, em projetos. Permanecemos nessa de seguidores de uma seita nutrida a dinheiro fácil e ignorância dura e o resto do país cansado e revoltado ao notar a dificuldade sentida nessas bandas para dar significado real à frase "o crime não compensa".
Ficamos presos neste dia da marmota que começou num sindicato no ABC e que teima em não terminar, mesmo sob uma chuva torrencial de lama e esgoto.
Já viu monstro de filme morrer quieto? Se debate, luta, destrói tudo, urra. O que assistimos nem Curitiba e em Brasília e em todo esse espetáculo grotesco de ataques à lava-jato por todos os lados, chicanas, ameaças de colocar milícias nas ruas, sabotagens, manobras no STF, é um monstro de chanchada tentando não morrer.
Tomara que o final do filme esteja próximo.
0 Comentários