segunda-feira, 29 de maio de 2017

Se o Brasil fosse mesmo capitalista, Joesley seria apenas um nome feio

Uma aluna recebeu zero numa questão de prova porque respondeu que o capitalismo "gera oportunidades" e o socialismo nunca deu certo em lugar nenhum.
Como os alunos que disseram o contrário provavelmente levaram 10, podemos concluir que esquerdista é formado na arte da mentira desde o ensino fundamental.
Mas o assunto não é esse, mesmo porque a mãe da aluna foi no colégio, meteu aquele merecido dedo na cara da coordenação e o professor e projeto de Stalin que passa o dia molestando crianças intelectualmente teve que rever a nota da menina.
O assunto é: existe capitalismo no Brasil? Mesmo?
Longe de mim querer bancar o marxista e dizer que os ensinamentos da minha seita foram deturpados. O capitalismo é um sistema cheio de defeitos mas ainda é o único capaz de produzir riqueza ao invés de tomá-la dos outros na força.
O que me leva ao Brasil, esse país onde o estado toma de uns para dar para outros.
Um país com empresários estado-dependentes, com relações trabalhistas mais tuteladas do que a propaganda pelo CONAR, com bancos que tomam emprestado do governo a 1% e emprestam à macacada por dez vezes isso, com uma verdadeira indústria de licenciamentos, alvarás, fiscalizações, taxas e sobretaxas, com "campeões nacionais" e com um estado que toma, toma, toma e não faz nem o favor de tentar não atrapalhar quem lhe dá de mamar, um país assim não é um país capitalista, é alguma coisa entre a saúva e a jabuticaba.
No Brasil o capitalismo "gera oportunidades" em parte.
Porque se você não for um empreiteiro ou empresário amigo do poder, toda a "oportunidade" que o "mercado" nacional vai te oferecer é ser um empreendedor sufocado por custs de todos os lados, recrutador de uma dessas empresas de marketing multi-nível ou balconista com um dia de folga escalonada quinzenal.
Sendo bastante sucinto: se o Brasil fosse mesmo capitalista, Joesley seria apenas um nome feio.
0 Comentários