quinta-feira, 20 de julho de 2017

Ponham tudo abaixo

Pacientes de um hospital público no Rio de Janeiro que trata de diabéticos estavam madrugando na fila para conseguir atendimento quando foram assaltados por bandidos. O Rio, estado roubado e quebrado pelo PMDB com a ajuda e colaboração do PT é só o exemplo mais absurdo do que foi feito com o Brasil.
O país, hoje com a economia estagnada e 15 milhões de desempregados, segue sufocando seus cidadãos com impostos e cortes nos serviços que estes impostos deveriam manter. O exemplo dos passaportes, documento que custa 250 reais e parou de ser emitido por "falta de verba", define bem o Brasil, que deixou de ser ruim e caro faz tempo, para ser apenas caro. O resto é inexistente.
Michel Temer aumentar por decreto impostos sobre combustíveis enquanto não corta um centavo de gastos com pessoal e mordomias é aquele tipo de coisa que deveria servir como a guta d'água.
Renan e Cabrais, Pezões e Geddéis, magnatas da roubalheira de tornozeleira eletrônica nas suas mansões compradas com dinheiro sujo, as diárias dos deputados, as viagens pagas com o dinheiro dos outros, nada disso foi capaz de tirar o brasileiro do torpor em que se encontra. Mas algo há, espero eu, de fazê-lo acordar.
Seja um bandido condenado pela justiça fazendo campanha eleitoral ilegal enquanto ameaça o país com o caos, seja as risadas de deboche nos cafezinhos no congresso, seja mais um imposto para coletar mais moedas do já combalido bolso de quem produz, algo precisa fazer o brasileiro decidir derrubar sua Bastilha.
No caso francês esta era apenas um prédio, uma prisão, já no brasileiro, a prisão é o país inteiro. E pouca coisa não merece ser posta abaixo.
0 Comentários