quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Um caminho para atingir os corruptos

A PF fez uma operação envolvendo os filhos do Romero Jucá, aquele colosso de honestidade saído de Roraima.
Acho que pode ser um excelente caminho. Esses cretinos tem imunidade disfarçada de foro privilegiado? Vão em cima das famílias deles.
Claro que não por "culpa por associação", isso é coisa de comunista, mas a maioria das famílias desses corruptos não só desfruta do produto da corrupção como serve de laranja em esquemas, participa de negociatas ou pelo menos leva malas de dinheiro para lá e para cá.
O Paulo Roberto Costa, bandido e corrupto confesso da Petrobras, só resolveu falar depois que seus filhos foram pegos destruindo provas da sua corrupção.
Você acha quem eles amem, descobre se também estão sujos e aperta. Mas aperta com força.
Assim os cretinos condenados à impunidade pela inação do STF podem ser pegos e punidos.
De um jeito ou de outro.

Os lacradores

Não tem nada mais burro do que alguém ser um bom ator/cantor/esportista e estragar sua carreira bancando um péssimo palpiteiro de política.
Agora, se você é um medíocre ou um flopado que não emplaca um top 10 ou algum projeto sem Rouanet há anos, nunca subiu num pódio olímpico e não tem vaga nem no elenco do Íbis, só resta mesmo o LACRE.
Na maioria das vezes as pessoas gostam das histórias que o sujeito conta escrevendo, do que ele canta, de como joga em quadra ou campo. Mas se lixam para a sua opinião política.
Por isso mesmo ao usar um show ou evento esportivo para regurgitar bobajada política que comeu junto com o bobó de camarão no restaurante do Leblon você toma a platéia, que não pagou por isso, como refém.
Deixa de ser "artista" ou "esportista" para virar um sequestrador ideológico.
Tome vergonha.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

República Titanic

Observo essas maquinações, negociatas, esses casuísmos e corporativismos dos ladrões em Brasília como o iceberg observou a banda do Titanic.
Cada vez mais gente não só deixa de se opor, como torce por uma intervenção militar, por uma ruptura, mas segue o baile no transatlântico furado e meio emborcado do congresso nacional.
Talvez só percebam o tamanho do desastre quando o teto do salão desabar sobre as suas cabeças.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Giovanna Ewbank: 'Hoje, quero ver quantos negros estão no mesmo restaurante que eu

- Boa noite, a senhora quer ver o cardápio?
- Pera aí, não tem negros aqui?
- Senhora, a escravidão já acabou, só vendemos comida.
Só o que essa Giovanna Ewbank e marido gastaram de passagens para ir adotar uma criança na África já alimentaria um orfanato durante um ano, mas tudo bem, agora ela virou oficial da polícia da melanina.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Como acabar com as cotas

Um estudante branco causou (mais uma) polêmica ao se declarar negro e passar para medicina numa federal.
Mas e daí? Ele pode alegar que ninguém nasce negro, torna-se um, dando uma de Simone de Beauvoir do racialismo tupiniquim.
Ironias à parte, brancos se auto-declarando negros, "transraciais", pode ser uma boa forma de combater o vagabundo sistema de cotas.
Como não adianta argumentar, a melhor forma de acabar com isso é esculhambar o sistema de tal forma que ele se torne inócuo.
Mãos à obra! Rs.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Da caravela ao Boeing

Os bandidos da classe dirigente só trocaram a caravela pelo Boeing. O objetivo continua sendo o de sempre: saquear o Brasil e ir pra Europa.
Brasília é uma prostituta cara e que cultiva bem o seu cartão de milhagem com o dinheiro dos outros.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O Santander e a "arte"

Uma exposição chamada "queermuseu" patrocinada/exibida pelo banco Santander foi cancelada porque finalmente o brasileiro resolveu dizer chega às degenerações canalhas da esquerda.

Não. Pedofilia, vilipêndio religioso e zoofilia não são "arte", nem "desconstrução", nem "estímulo ao debate". É apenas mais uma das - muitas - perversões que a esquerda quer promover à "arte" ou "ciência" em nome de sua ideologia destrutiva que tem apenas um alvo: a família, o núcleo da sociedade que essas mentes doentias pretendem solapar.

Mas tenho certeza que outras pessoas falarão disso em vários textões, então prefiro fazer aqui um exercício de adivinhação.

Também quero brincar de artista e vou fazer uma exposição. Pedirei verbas ao governo via lei Rouanet e vou, através da minha "arte", fazer "provocações" que causarão revolta apenas em mentes fechadas e da "idade média", afinal, "arte" precisa incomodar, não é mesmo?

Minha exposição se chamaria "Esquerda cucu-dádá" e mostraria os seguintes "trabalhos":

- A escultura de um gorila vestido de general defecando em um penico colocado na boca de um Jean Wyllys cênico. Sob o nome de "dita-a-dura militante", a obra estimularia o debate sobre os efeitos de se consumir e falar muita merda.

- Uma obra interativa chamada "múltipla escolha": nela o público poderá decidir se atira com um fuzil em forma de pênis em fotos de Lamarca, Marighella ou Che. O fuzil dispara tiros de marshmallow coloridos sob o som de "Star Spangled Banner".

- A pintura sensorial "um tapinha não dói": uma tela com bundas grotescas feitas de espuma montadas sobre fotos dos rostos de Gleisi Hoffmann, Maria do Rosário, Jandira Feghali e Dilma Rousseff. A intenção desta pintura é a interação com o espectador, que escolherá se prefere alisar ou bater nos rostos representados sobre as bundas.

- Um delírio pictórico em 3D: lulas mortas são atiradas numa panela em formato de cela de presídio. No alto da sala uma placa com a inscrição: Atibaia-Guaruhell. O público será estimulado a aplaudir ou vaiar a cena.

- Aquarelas e desenhos toscos das cabeças de Lula, José Dirceu, Antônio Palocci e Lindbergh Farias representadas em corpos de crianças com a inscrição "Criança Ladrona".

- E finalmente uma enorme cabra de pelúcia sodomizada por uma estrela vermelha com um gigantesco falo onde se lê "Petrobras-BNDES". A estrela se movimentará simulando um coito e a cada estocada a cabra berrará "mééééé sou o povo brasileiro".

Todas estas obras seriam expostas ao lado de cópias de tuítes, textões e colunas defendendo a exposição no Santander Cultural que ofendia a religião alheia e normalizava a pedofilia e a zoofilia em nome da "arte" e pela "liberdade de expressão".

Certamente a esquerda compreenderia a minha exposição e não faria nenhum protesto, processo, pedido de socorro ao MP ou reclamações para a tia OAB, não é mesmo?

Ou será que iriam?