quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Reforma da previdência, por enquanto não

Enquanto ministros não almoçarem num bandejão, deputados não andarem de Uber ou dirigirem carros comprados por eles mesmos com seus salários, enquanto togas do STF não pagarem pelos próprios passeios na Europa, enquanto promotores, juízes e desembargadores não se aposentarem com o mesmo teto e pelo mesmo sistema do Zé das Couves, enquanto não houver mais um jatinho ou helicóptero sequer transportando "autoridades", enquanto seus banquetes não forem pagos com o fruto dos seus trabalhos e não do trabalho alheio, enquanto partidos não tiverem que vender idéias e não se vender em troca de verba suja e fundo partidário, enfim, enquanto um estamento privilegiado estiver vivendo num universo paralelo, seja em Brasília ou qualquer outro lugar, tenham a DECÊNCIA de não falar em "país quebrado" ou dizer que sem reformar a previdência DOS OUTROS, virá o apocalipse tropical.
Tomem vergonha nessas caras.
0 Comentários