quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

A fórmula 1 já andava sem emoção, agora vai ficar sem beleza

A Fórmula 1 resolveu abandonar o uso das "grid girls", modelos que circulavam na pista antes da largada e pelo autódromo durante a corrida e as premiações.
Segundo dirigentes da categoria, "o uso de grid girls tem sido presente nos GPs de F1 por décadas, sentimos que isso não condiz com nossos valores de marca e está em desacordo com as normas da sociedade moderna".
Antes a categoria já tinha realizado mudanças nos seus motores, diminuindo as cilindradas, as rotações por minuto, limitando o número de cilindros. Aquele barulhos, aquelas máquinas de botar medo, já tinham virado coisa do passado.
Observe também os pilotos. Declarações politicamente corretas, atitudes de bebês chorões, punições por "excesso de arrojo" e corridas sonolentas ao volante de carros com câmbio automatizado, acelerador eletrônico, suspensão ativa, ou seja, uns motoristas de mini-van usando capacete.
Quer dizer, se fosse alguma parada gay ou desfile com travestis a "sociedade moderna" acharia "lacrador e empoderado", mas como são belas mulheres, ah, aí não pode, isso é ultrapassado.
Depois que o Senna morreu e aqueles duelos com o Prost ficaram eternamente no passado a F1 já tinha ficado um porre, daí vieram os "motores ecológicos", os "pilotos filhinhos de mamãe" e agora essa.
Coloquem logo uma corrida de velotrol de unicórnio usando cotoveleira da Barbie e pronto.
0 Comentários