sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Está bom, mas ainda falta

Também não se impressionem muito com o tratamento dado ao Sérgio Cabral - algemado nos pés e nas mãos - em Curitiba.
Apesar de governador e chefe de esquema, nunca foi considerado a "realeza" do PMDB, sempre foi um contínuo que chegou longe demais, como é o Picciani. Pezão é o contínuo do contínuo e todos são descartáveis.
Todos esses, assim como o Cunha e, do lado do PT, o André Vargas, são cabeças oferecidas à guilhotina para tentar acalmar a plebe.
Se anime quando ver um petista responsabilizado por ameaças como a da senadora Gleisi Hoffmann, de que "vão ter que matar gente para prender o Lula".
E se anime mais ainda quando você puder ver um Lula, Sarney, Renan Calheiros, Jucá, Padilha, acorrentados e de uniforme de presidiário.
Só aí o Brasil vai ter mudado mesmo.
0 Comentários