sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Ministério Público Federal vira polícia ideológica

Da Gazeta do Povo: "Após ter suspendido a exposição “Queermuseu - Cartografias da Diferença da Arte Brasileira”, o Santander Cultural terá que realizar duas novas mostras enfatizando temas sobre a diferença e diversidade na ótica dos Direitos Humanos."
A reportagem prossegue: "Uma das novas exposições deve abordar obrigatoriamente a temática da intolerância em quatro eixos: gênero e orientação sexual, étnicas e de raça, liberdade de expressão, e outras formas de intolerância. A outra mostra vai tratar sobre as formas de empoderamento das mulheres na sociedade contemporânea, a diversidade de gênero feminina, incluindo questões culturais, étnicas e de raça, de orientação sexual e de gênero."
Ou seja, não apenas um órgão estatal quer OBRIGAR um ente privado a realizar uma exposição artística (sem se preocupar sequer com a disponibilidade de material DE QUALIDADE sobre o tema) como ainda IMPÕE a temática.
E dizem que o Brasil é uma "democracia".
Assim o ministério público deixa de ser um "órgão incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático", como é a sua definição, para se tornar uma POLÍCIA IDEOLÓGICA.
Se sou do Santander Cultural faria duas mostras: "O negão do Whatsapp e o preconceito falocêntrico contra orientais" e outra sobre "As dificuldades de ser uma tirolesa autêntica no Brasil".

0 Comentários