terça-feira, 31 de julho de 2018

Dívida histórica? Hein?

Ainda sobre o Roda Viva com o Bolsonaro: os entrevistadores falando em "dívida histórica" (conceito e linguagem pateta de militante) como se fosse algo dado, pronto e acabado, apenas para ser aceito, mostra, mais uma vez, a desconexão dessa imprensa com o país real.

A imprensa militante e decadente

Entendem agora o desespero e a campanha histérica da imprensa militante para censurar a internet sob a desculpa de "combate às fake news"? Os mestres das fake news que sempre manipularam a audiência estão apavorados com a concorrência da internet. Aliás, concorrência não, surra.



segunda-feira, 30 de julho de 2018

A esquerda (des)animada

Hoje fui ver a premiação do Anima Mundi e confesso que o público conseguiu me chocar. Parecia uma plenária do PSOL misturada com distribuição de butim do PT. Sempre foi assim? O domínio da esquerda sim. Mas nunca com tamanha ostentação de símbolos e posturas. 

A impressão que passa é que conforme vão perdendo espaços na sociedade, seja no mundo virtual ou no chamado "mundo real", vão radicalizando o agir, assumindo uma postura de gueto mesmo. Fechando a bolha quase hermeticamente. 

Ninguém me destratou, não houve nenhum episódio específico, mas 90% do público tinha a indumentária, postura e conversa de quem voaria no meu pescoço caso eu respondesse honestamente a pergunta "o impeachment da Dilma foi golpe?". 

Não é reclamação ou desabafo ou brado, nada disso. É quase uma comemoração: apesar de ter que me sentir um espião da CIA na sede da KGB para ver uns desenhos animados, constatei que eles estão perdendo. Estão presos num bunker.

P.S.: Havia camisetas "Mirabelle Presente" e "Lula Livre", mas será que alguém com uma camiseta assim:

"Meu Voto é Secreto 😎👉🏻👉🏻"

Circularia de boa no local? Tenho minhas dúvidas.

Inversão total de valores

A TV com lacração em programa matutino e os psicopatas doutrinadores nas salas de aulas já se encarregaram da família. Agora eles vão atacar sua religião. Ou você aceita que o que lhe é sagrado possa ser profanado - "bicha, travesti, transsexual, etc." - ou o criminoso será você.
Isso tudo é um exercício de tornar os padrões do que é aceitável elásticos. Se agora essas ofensas aos cristãos ainda causam indignação e algum debate, caso seja permitido em breve errado - "preconceituoso" - será quem se indignar.

sábado, 28 de julho de 2018

A obsessão da imprensa

A imprensa hoje: "Olha, ele é gay!", "Que lindo, ela tem mulher!", "Não, não, esquece o custo de vida, olha que coisa fofa esses dois homens se beijando!", "Veja as ultimas cenas gays no cinema!", "Curte tênis? Então, essa jogadora aqui é sapatão!", "Ouça que musicão esse homo fez!".

terça-feira, 24 de julho de 2018

Você só pode querer um tipo de país

É pra MUDAR o país e romper esse ciclo asfixiante de confisco, rapinagem e impunidade ou é para bancar o "equilibrado e sem paixões" e sentar no colo dos mesmos calhordas de sempre sob a explicação de que precisa haver "mais preparo" e "menos radicalismo"?
Os dois não cabem juntos.

Não existe diálogo possível com a esquerda

Se liga: um dia vc vai "dialogar" com a esquerda, se envaidece com meia dúzia de elogios sobre sua "maturidade" (estão prontos pra te calar no primeiro "ah", mas releva), no dia seguinte já está vendo racismo e misoginia em piada e meme, viciado em receber elogios dessa escória.
Não quero que a esquerda me veja jamais como alguém razoável e aberto ao diálogo. Não dialogo com defensor de genocida e liberticida, com gente que relativiza o Maduro. A única coisa que desejo da esquerda é a sua derrota total e a rendição. O resto dispenso.
Esquerdista para "dialogar" comigo tem que abrir mão de defender ou relativizar Cuba, Venezuela, Che Guevara, roubalheiras do PT, ideologia de gênero, politicamente correto, mas aí ele já terá deixado de ser esquerdista.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

A imprensa de esquerda está contra o grupo de Whatsapp da sua família

Se liga: é a mesma imprensa que trata como algo viável e plausível a candidatura de um PRESIDIÁRIO FICHA SUJA que está preocupada com as "fake news" que sua tia pode espalhar no grupo de Whatsapp da família.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Sugestão aos marqueteiros de Jair Bolsonaro

Em 8 segs você diz:

- Alckmin, cadê a merenda?
- Ciro, já tomou o remedinho?
- Tava sumida, Marina!
- Lula preso!
- Bandido tem que se foder e acabou.
- Vote 17 ou vai ter macho no banheiro com sua filha.
- Alô, Caê, acabou a Rouanet!
- Corre Boulos, uma carteira de trabalho vem ali!

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Ofende hoje, pede votos amanhã

Adoraria saber qual é o plano do PSDB para, caso o intento dê certo e tire o Bolsonaro de um eventual segundo turno, conquistar os votos de uns 20% do eleitorado que passou a sentir pelo partido um asco que só não é maior do que o sentido pelo PT.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

A diversidade do atraso

"Diversidade" = Pegar um país de primeiro mundo, dizimar sua cultura, descaracterizar seu povo, transformá-lo numa cloaca terceiro mundista e dizer que isso é lindo porque agora ele ganha competições de atletismo, partidas de futebol e tem carnaval.

O bom e velho mundo sem lacração

Saudade do tempo em que você ia, por exemplo, num show dos Pet Shop Boys, que tem um público cheio de gays, e aquilo queria dizer apenas que você curtia a música dos Pet Shop Boys e não tinha nada a ver com a vida pessoal do restante da platéia.
Hoje em dia gostar de um artista, uma franquia de filmes, uma novela, um livro, etc., é uma declaração política, um hasteamento de bandeira, uma subida num palanque.
Se ouve isso, lê aquilo, curte aquilo outro, então é a favor/contra o "casamento" gay, a ideologia de gênero, o desarmamento, a plantação de batatas na Casa da Mãe Joana, enfim, gosta-se (ou deixa-se de gostar) de algo não baseado na qualidade que aquilo possui para a pessoa, mas baseado no que dizer que gosta/não gosta daquilo dirá para ao resto da sociedade sobre esta pessoa.
É a era da afronta - "vai tocar isso sim" - e da lacração - "não curte música tal por que, 'amore', você é 'homofóbico'?".
Uma geração de gente chata e mimada que foi criada pensando que é o centro do mundo. Deu nisso: o mundo está sem centro.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

As faces da ruína do Rio de Janeiro



Ninguém se mete com Brizola, Garotinho, Sérgio Cabral, Saturnino Braga, Luiz Fernando Pezão, Rosinha, Benedita da Silva, entre outros, impunemente. O Rio de Janeiro é o retrato do rebotalho que o governa há décadas.
E o Marcelo Freixo talvez seja um dos personagens políticos mais hipócritas, desonestos intelectualmente e pilantras ideológicos do país. Não é coincidência que outro personagem deletério como ele, o Guilherme Boulos, seja do mesmo partido.
O PSOL é um PT para eleitores que não aprenderam nada e malandros de esquerda que são capazes de tudo.
Daí a falta total de pudor em dizer que o impeachment da mentirosa violadora de leis, porém filiada à nave mãe da qual o PSOL é linha auxiliar, Dilma Rousseff, era "golpe", enquanto o pedido de impeachment de Marcelo Crivella, desafeto que surrou o Marcelo Freixo nas urnas, não é.
A moral pastosa é comum a todos eles e a cara de pau em ostentá-la por aí sem o menor constrangimento, idem.
A diferença, neste momento, é que o prefeitinho dos playboys de federal e da Zona Sul ainda não possui acusações criminais como seus chefetes do PT, já que a única coisa que administra, além do seu apartamento num bairro abastado, é a própria equipe de PMs que lhe fazem segurança particular, enquanto ele mesmo defende por aí o desarmamento e o fim dessa mesma PM para o resto da macacada.
Resumidamente, a moral deste cretino funciona assim: político de esquerda que sofre impeachment, sofre um golpe. Não importa o crime que tenha cometido.
Político, por pior que seja, que não é da patota e aplica nele uma verdadeira surra no bubuti em eleições diretas e livres, pode sofrer impeachment tranquilamente, ainda que a maior acusação contra ele seja "a turma da Praça São Salvador não gosta".
Pobre da cidade que cai na conversa de um malandro desse e o leva até um segundo turno. Não é a toa a situação do Rio de Janeiro.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

A velha estratégia da esquerda

O Marcelo Crivella herdou uma cidade falida do aliado do PT, Eduardo Paes. Mas a imprensa, lacaia da esquerda, está ignorando este fato para fazer contra ele uma de suas guerras de baixa intensidade que minam a reputação de alguém até destruir. O objetivo? Viabilizar o Marcelo Freixo.
O roteiro é o MESMO usado para levar o Lula até a presidência. Nada que não fosse o eterno candidato prestava, até que em 2002 conseguiram eleger o sapo barbudo. Estão apenas repetindo a fórmula para tentar eleger a Libélula do Leblon para prefeito do Rio.

As instituições estão funcionando


 Pode confiar.

terça-feira, 10 de julho de 2018

A imprensa dá ao PSOL a relevância que as urnas negam

A Folha, Estadao, Veja, Istoé, Época, etc., deveriam publicar a opinião do Levy Fidelix e do Eymael toda vez que repercutissem as idiotices que o Boulos fala. Até por questão de isonomia em relação aos candidatos com traço nas pesquisas.

O cara é agiota de mendigo que não consegue nem 1% nas pesquisas e ficam esses militantes travestidos de jornalistas tratando-o como se fosse uma espécie de condestável da República que deve ser ouvido sobre todas as questões relevantes do país.

Haja paciência.

A imprensa é o verdadeiro partido do Lula

O PT e a imprensa que o partido traz na coleira estão querendo transformar esse ano eleitoral numa disputa entre um presidiário que não pode ser candidato e um juiz que não quer ser.
Tudo isso para não admitir que as chances do Bolsonaro ser eleito aumentam a cada dia.

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Ameace um juiz, mas não xingue nos estádios

É petista ameaçando o Moro, é deputado petista incitando a invasão da PF, mas a PGR/MPF está ocupada demais fiscalizando quem faz piada ofensiva, manda quilombola trabalhar ou grita "bicha" nos estádios.

domingo, 8 de julho de 2018

Os valores de Geraldo Alckmin

O Alckmin é um candidato que possui um conjunto de valores tão sólidos quanto uma gelatina, defendidos com a coragem do Salsicha do Scooby Doo.